Currículo e cartas de apresentação

Saiba como escrever uma carta de apresentação

Em um contexto de mercado de trabalho cada vez mais competitivo, o processo de candidatura a uma vaga de trabalho exige tempo, paciência e dedicação por parte dos candidatos. Isso inclui a elaboração de um currículo bem estruturado, a escolha das vagas mais alinhadas ao seu perfil profissional e o preenchimento das candidaturas nas páginas das empresas que possuem vagas em aberto.

Um instrumento cada vez mais utilizado nos processos seletivos das empresas e consultorias de RH e que exige uma atenção especial dos candidatos é a carta de apresentação. Essa carta nada mais é do que uma declaração das intenções por parte do candidato.

Por meio dessa carta, o profissional torna sua candidatura mais próxima do recrutador e expõe os motivos pelo qual está participando do processo seletivo. Além disso, a carta de apresentação profissional deve explicar ao recrutador o motivo pelo qual você é o candidato mais preparado para a vaga. Resumindo, a carta de apresentação é uma ferramenta estratégica para expor as habilidades técnicas e comportamentais que não são percebidas no currículo profissional e que poderiam ser úteis à empresa para a qual você se candidatou.

A carta de apresentação pode se tornar uma forte aliada na conquista do emprego dos sonhos. É importante ressaltar que ela também pode se tornar um problema caso não seja bem redigida. Tudo isso depende da forma que o candidato se apresenta, os argumentos que utiliza e a mensagem final que deixa para a empresa recrutadora. Nesse artigo, vamos ajudá-lo a elaborar uma boa carta de apresentação, capaz de diferenciá-lo como um forte candidato entre os concorrentes.

Como escrever uma boa carta de apresentação profissional

Embora muitas pessoas tenham receio de escrever uma carta de apresentação profissional, saiba que ela não é um bicho de sete cabeças. Esse medo é compreensível, afinal, é por meio da carta de apresentação que o recrutador terá o primeiro contato com você. Além disso, é por meio dela que você poderá “vender” suas qualidades e convencer o recrutador a te escolher para uma entrevista.

Na realidade, se você seguir a estrutura logo abaixo, será capaz de escrever uma ótima carta de apresentação pessoal sem muito esforço.

Cabeçalho

A carta de apresentação deve começar com seu nome completo, suas informações de contato (telefone celular e e-mail) e, caso julgue necessário, seu endereço residencial. Como hoje em dia as candidaturas são realizadas em plataformas on-line, essa informação de endereço provavelmente estará incluída em outra seção do processo.

Data

É importante colocar a data atualizada como forma de garantir que a carta de apresentação foi preparada para aquela vaga de emprego. Se sua carta de apresentação for enviada por e-mail, esse item pode ser descartado, uma vez que ele já estará disponível automaticamente junto com a mensagem.

Cumprimento

É o início de sua carta de apresentação. Nessa primeira frase, utilize uma saudação cordial e direcione-se ao recrutador, ao responsável pela área de RH ou à pessoa que postou a vaga de emprego, caso saiba o nome completo deles. Caso não conheça o nome da pessoa responsável pela vaga, utilize uma denominação genérica como:

“Prezados Srs. do Departamento de Recrutamento da Empresa XXX”

ou

“Caros Srs. do Departamento de Finanças da Empresa XXX”.

Evite ser muito informal com relação ao cumprimento utilizado na carta de apresentação, a menos que você saiba que a empresa para a qual está se candidatando possui tal nível de informalidade.

Intenção à vaga

Nesse primeiro parágrafo, faça breve introdução, mencionando a vaga de interesse e o seu entusiasmo em participar do processo seletivo por conta da vaga e da empresa em questão. Nessa parte, você basicamente irá explicar o motivo pelo qual está se candidatando para aquela vaga.

Experiência Profissional

No 2º parágrafo, relate brevemente o seu histórico profissional. Mencione dois ou três cases de sucesso nos quais você teve participação ou liderança direta, e qual foi seu papel na entrega desses resultados. Se possível, forneça dados tangíveis. Enfatize de que maneira essas experiências podem ser relevantes para os desafios propostos pelo cargo utilizando palavras-chave apresentadas na descrição da vaga em aberto.

Caso ainda não tenha vasta experiência profissional, você poderá mencionar cursos, projetos ou atividades extracurriculares que agregaram na sua formação técnica e interpessoal. Você também pode descrever ações de voluntariado, caso tenha alguma.

Outras Razões

Use esse parágrafo para reforçar como você pode contribuir para os futuros desafios estratégicos da empresa. Nesse sentido, é interessante realizar uma pesquisa prévia para avaliar se a empresa está entrando em novas áreas de atuação, se está passando por um processo de transformação digital ou se tem estabelecido novas parcerias estratégicas, por exemplo. Dessa forma, é possível ter novos insights sobre como estabelecer relações entre as suas habilidades e as necessidades reais da empresa empregadora, demonstrando seu interesse pela vaga e sua habilidade de fazer conexões.

Conclusão

Nesse último parágrafo, recapitule as principais mensagens da sua carta, reforçando sua disponibilidade, sua vontade em trabalhar na empresa e porque você tem o perfil necessário para a vaga. Seja breve e se coloque à disposição para fornecer mais informações sobre sua carreira profissional em uma possível entrevista.

Encerramento

Encerre a carta com uma saudação de despedida e sua assinatura. Evite utilizar termos muito informais, como “tchau” ou “abraços” nessa parte, a menos que a empresa tenha um ambiente mais informal. Caso você tenha alguma dúvida, opte por usar termos como “atenciosamente”, “cordialmente” ou “muito obrigado”.

Candidate-se facilmente com um Currículo Indeed

Itens que merecem atenção redobrada

A seguir, listamos alguns itens que devem ter um cuidado especial. Veja:

  • Utilize a ortografia e gramática adequadas ao texto. Recrutadores normalmente compreendem que erros ortográficos e gramaticais indicam descaso e falta de atenção do candidato. Essa dica se estende às situações em que é necessário escrever uma carta de apresentação em inglês ou qualquer outro idioma que não seja a sua língua materna. Caso julgue necessário, procure auxílio de quem tenha mais conhecimento no idioma em questão para evitar vícios de linguagem, falsos cognatos ou erros de grafia.
  • Evite utilizar linguagem rebuscada ou extremamente técnica. Com a exceção de algumas profissões que exigem a utilização de termos técnicos para exprimir a realidade de suas atividades, como as áreas jurídica, tecnológica ou publicitária, a simplicidade de linguagem sempre é a melhor opção na produção de uma carta de apresentação. Evite usar palavras pouco usadas no dia a dia para fugir de situações desagradáveis. Você pode passar a imagem de alguém que quer florear a candidatura e que aquilo que foi dito não condiz com o seu perfil.
  • Avalie seus argumentos. Ao finalizar o documento, releia-o inúmeras vezes como forma de avaliar se a sua carta é clara. Tenha atenção a todas as frases escritas e observe se não há redundâncias, palavras repetidas ou descontextualizadas. Outro ponto de cuidado é a extensão do texto: seja sucinto na escrita. A sua capacidade de sintetizar apenas os pontos mais interessantes da sua carreira também pode ser avaliada. Se possível, peça ajuda a uma pessoa confiável para que avalie se o sentido que você está colocando no papel condiz com a mensagem que de fato quer passar ao recrutador.
  • Seja criativo. Tente evitar o uso de modelos pré-definidos de cartas de apresentação que estejam à disposição para download na Internet. Ao invés disso, procure criar uma identidade visual própria, que reflita seu perfil profissional. Lembre-se que é importante criar um formato que ali seu perfil com o setor e a área em que deseja atuar. Ambientes mais formais pedem formatos mais discretos—como bancos e escritórios de advocacia—, enquanto ambientes mais inovadores pedem formatações mais criativas—como startups e agências de comunicação.
  • Valorize suas soft skills. Pense em como relatar suas experiências profissionais de forma diferente, valorizando os impactos de suas ações não apenas sobre resultados financeiros ou operacionais. Reflita sobre o engajamento de outros colaboradores, na maneira em que você se relaciona com outras áreas da empresa ou na mudança cultural que provocou nos locais que trabalhou. Tais habilidades, chamadas de soft skills, podem ser muito úteis na empresa para a qual está se candidatando. Essa dica é valiosa principalmente aos candidatos que estão buscando uma mudança de atividade ou de segmento de atuação.
  • Escreva cartas de apresentação personalizadas para cada vaga. Às vezes, o processo de candidatura de vagas pode ser exaustivo e uma prática comum é usar a mesma carta de apresentação para todas as vagas pleiteadas, alterando apenas a data e o nome da empresa no cabeçalho. Procure evitar essa prática. Encare a elaboração de uma nova carta como uma oportunidade de convencer o recrutador de que você é um profissional que poderá fazer a diferença para empresa.