Como se tornar terapeuta ocupacional: conheça as etapas

Atualizado em: 1 de agosto de 2023

A área de terapia ocupacional é extremamente importante para a recuperação e a socialização de pessoas com diferentes dificuldades e limitações. Entender como se tornar terapeuta ocupacional pode ajudar você a descobrir se esta é a carreira certa para o seu perfil e, caso seja, a montar um plano de carreira desde cedo. Assim, você pode atingir seus objetivos profissionais com mais rapidez.Neste artigo, você vai descobrir o que faz um terapeuta ocupacional, quais são as habilidades necessárias para exercer a função e as etapas para seguir essa carreira. Confira!
Vagas relacionadas no Indeed
Terapeuta Ocupacional vagas
Ver mais vagas no Indeed

O que faz um terapeuta ocupacional

O terapeuta ocupacional é um profissional da área de saúde que auxilia pessoas com problemas físicos, sensoriais, sociais e motores a terem mais saúde e bem-estar. Sendo assim, ele lida diretamente com pacientes que passaram por situações traumáticas, enfrentam alguma doença ou apresentam distúrbios genéticos. Trata-se, portanto, de um trabalho que exige muito cuidado e uma formação específica.O processo da terapia ocupacional consiste, basicamente, em estimular as pessoas para que recuperem suas capacidades funcionais e sociais. Assim, elas podem ter uma qualidade de vida melhor e conseguem levar uma rotina mais agradável e independente. Em geral, o encaminhamento de pacientes é feito por indicação médica, em qualquer faixa etária.O desenvolvimento ao longo do processo terapêutico é estimulado por meio de atividades lúdicas, artísticas e artesanais. A tecnologia também tem sido uma grande aliada nesse trabalho. Dentre as atividades realizadas, podemos citar:
  • Auxiliar na reabilitação e reintegração social de pessoas da terceira idade;
  • Acompanhar crianças com problemas de aprendizagem e psicomotores;
  • Auxiliar no tratamento de pessoas com distúrbios psíquicos;
  • Ajudar na reintegração de pessoas viciadas em drogas, menores infratores e pessoas carentes à sociedade;
  • Assistir pessoas com deficiência física.
Relacionados:

Como se tornar terapeuta ocupacional

Terapeutas utilizam técnicas específicas para o tratamento de cada pessoa, pois a terapia é um processo individual e precisa ser adaptada ao perfil e às necessidades dos pacientes. É fundamental, dessa forma, ter todo o preparo necessário para isso.Nos tópicos a seguir, vamos apresentar as etapas essenciais de como se tornar terapeuta ocupacional.

1- Graduação em Terapia Ocupacional

A profissão de terapeuta ocupacional exige que uma graduação na área. O curso é oferecido em diversas instituições de ensino superior e tem duração média de quatro anos. Após a conclusão, os profissionais recebem o título de bacharel. Vale ressaltar que o curso precisa ser reconhecido pelo Ministério da Educação (MEC) para que tenha validade.O curso é composto por diversas disciplinas teóricas e práticas, visando desenvolver as habilidades necessárias para atuar na área. Dentre os temas estudados, estão: sociologia, psicopatologia, ergonomia, bioquímica e traumatologia.Para concluir a graduação, é preciso fazer um estágio nos últimos semestres do curso. O estágio pode ser feito em hospitais, centros de saúde, comunidades, asilos e centros de reabilitação. É um período essencial para a formação, pois é o momento de colocar em prática todo o aprendizado do curso e atuar sob a supervisão de profissionais da área mais experientes.

2- Registro profissional

Terapeutas devem ter o registro profissional no Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional (Crefito) logo após a formatura. O órgão é uma representação local do Conselho Federal de Fisioterapia e Terapia Ocupacional (Coffito) e é responsável por emitir os registros e regulamentar a profissão em determinada localidade.A inscrição no conselho garante a devida capacitação para exercer a função, conforme as regulamentações das leis federais. Isso evita que pessoas sem preparação exerçam a atividade, colocando pacientes em risco. Outra vantagem é que o conselho conhece melhor quem está na ativa e pode discutir pautas importantes para a categoria.

3- Busca por emprego

O próximo passo é elaborar o currículo e se preparar para os processos seletivos. O documento deve reunir todas as informações sobre a formação e experiências profissionais de forma clara, objetiva e sucinta. Uma boa dica é destacar os projetos em que participou, bem como as conquistas e os resultados obtidos em trabalhos anteriores.Em seguida, é preciso buscar por vagas de emprego. Isso pode ser feito em sites especializados, como o Indeed, ou diretamente no site das instituições particulares em que a pessoa gostaria de trabalhar. É fundamental, nesse momento, procurar informações sobre a instituição empregadora para entender a cultura corporativa, o formato de trabalho e o processo seletivo.Essas informações fazem toda a diferença na hora da entrevista, pois mostram o seu interesse em trabalhar na instituição. Uma pesquisa prévia também possibilita avaliar se aquele lugar é o melhor para você. E, caso algo não fique claro, ainda é possível tirar as dúvidas durante a conversa.Relacionado: Como escrever uma carta de apresentação de fisioterapeuta

4- Pós-graduação

Fazer uma pós-graduação é muito importante no processo para se tornar terapeuta ocupacional, pois aperfeiçoa e aprofunda os conhecimentos profissionais. Além disso, essa formação valoriza o currículo e aumenta as possibilidades de sucesso no mercado de trabalho.O Coffito reconhece seis áreas para especialização. São elas: acupuntura, saúde coletiva, saúde mental, saúde da família, saúde funcional e contextos hospitalares. Há ainda a possibilidade de desenvolver pesquisas, dando continuidade à vida acadêmica.Mestrado e doutorado são ótimas opções para quem gosta de desenvolver estudos e métodos visando aperfeiçoar a área. Esses títulos são indispensáveis, inclusive, para quem quer trabalhar na rede pública de saúde, em que o processo seletivo valoriza bastante a formação acadêmica.

O mercado de trabalho para terapeutas ocupacionais

Apesar de o setor público ser o que mais emprega terapeutas ocupacionais, o privado oferece oportunidades bastante atraentes. Também vale considerar que existe uma grande demanda no mercado por terapeutas ocupacionais, enquanto o número de profissionais formados ainda é baixo para atendê-la. Trata-se de uma área que está crescendo e oferecendo boas oportunidades.Terapeutas ocupacionais podem atuar em hospitais, clínicas, consultórios, instituições penais, escolas, centros de reabilitação e organizações não governamentais, além de universidades e institutos de pesquisa, desenvolvendo estudos e preparando profissionais do futuro.Leia também: Quanto ganha um terapeuta ocupacional

Quais habilidades necessárias a terapeutas ocupacionais

Além do conhecimento técnico, existem algumas habilidades pessoais que são essenciais a terapeutas ocupacionais. Elas constituem a base da relação humana e garantem resultados positivos nos cuidados com pacientes.A empatia é a primeira habilidade que merece ser destacada. Ela é a capacidade de se colocar no lugar de outra pessoa e, assim, compreender sentimentos, emoções e atitudes alheias. Terapeutas ocupacionais precisam ouvir pacientes sem fazer julgamentos. Diversos estudos já comprovaram que, quando as pessoas se sentem compreendidas, respondem de forma positiva à terapia.Em seguida, é preciso citar a boa comunicação. É preciso saber passar informações e ideias de forma clara, garantindo que a mensagem seja compreendida. Além disso, essa habilidade também envolve a capacidade de interpretar a comunicação de pacientes, que se expressam não apenas por meio da fala, mas também por suas ações. Isso é de extrema importância durante a terapia.Por fim, a habilidade de realizar um trabalho colaborativo é outra importante característica para terapeutas ocupacionais. É bastante comum encontrar pacientes que também são se consultam com profissionais de outras áreas, de modo que a melhora passa a ser resultado de um trabalho em conjunto. A troca de informações e até o alinhamento de práticas faz toda a diferença no tratamento em geral.As nossas dicas de como se tornar terapeuta ocupacional ajudarão na sua jornada profissional. Se você acha que tem o perfil certo para a função, busque uma boa faculdade e invista nos seus estudos. Essa carreira tem uma rotina muito interessante e um papel importantíssimo para a sociedade.Leia também: O que é um psicomotricista?
Compartilhar:
  • Twitter
  • LinkedIn
  • Facebook
  • E-mail
Esse artigo é útil?

Leia mais artigos