Desenvolvimento de carreira

Aprenda a ser mais confiante no trabalho

A autoconfiança é uma habilidade que nem todos dominamos, normalmente por recebermos muitas críticas e pouco estímulo nas atividades que desempenhamos. Entretanto, esses fatos não devem se transformar em obstáculos definitivos e, com um pouco de treino, é possível derrubá-los. A competitividade no mundo laboral admite que cada vez mais pessoas sejam líderes em seu espaço, apresentando coisas novas, avaliando opiniões e fazendo a diferença. Portanto, ser mais confiante no trabalho é um exercício que exige constância e autoconhecimento.

Lembre-se de que ninguém fará esse exercício em seu lugar. É algo que precisará ser desenvolvido em sua cabeça e trabalhado todos os dias. A autoconfiança é mais que uma habilidade a ser usada no ambiente de trabalho: é uma das melhores ferramentas para lidarmos com um mundo cada vez mais exigente. Caso possua medo de ser criticado, tenha o costume de estabelecer uma visão negativa sobre seu próprio trabalho em relação aos demais ou sofra com a ausência de ousadia, este artigo foi escrito para você.

Saiba como ser confiante no trabalho

Suponhamos que você esteja há cinco anos trabalhando em uma determinada empresa e que seja um dos profissionais mais respeitados e admirados pelos colegas. Entre as razões para ser visto dessa maneira, estão, provavelmente:

  • sua capacidade para cooperar
  • sua forma de tratar os colegas
  • suas ideias inovadoras
  • seu bom humor
  • sua vontade de sempre fazer o melhor
  • sua confiança em si mesmo

Construir uma reputação que esteja nesse estágio não é algo que nasce da noite para o dia. Para se tornar um profissional respeitado e que inspira outras pessoas, é importante trabalhar sua autoestima e, por consequência, sua autoconfiança. E este exercício deve fazer parte de seu cotidiano constantemente. Profissionais confiantes não têm medo de críticas, mantém uma visão positiva sobre seu trabalho, incentivam os outros e ousam nas atitudes, o que influencia a equipe diretamente.

Veja a seguir alguns itens para desenvolver sua confiança no trabalho:

1. Supere o medo de ser criticado

Convivemos com as críticas desde o nascimento. Em níveis diferentes, somos criticados na escola, na faculdade, no trabalho e em nosso ambiente familiar. Mas se forem feitas de maneira construtiva, ou seja, de forma que possamos notar como melhorar as nossas ações, o efeito poderá ser bastante positivo. Por outro lado, quando as palavras são postas de um jeito agressivo e sem estímulo algum à melhora, seu efeito é indesejável.

Os dois tipos de crítica

Vejam a diferença entre dois tipos de crítica:

  1. Construtiva: “João, o formato deste documento não corresponde aos critérios de organização da empresa. Ajuste estas linhas e mude o estilo da letra. Reduza um pouco o tamanho do título, e deixe-o em negrito. Fazendo isso, seu trabalho ficará bem melhor.”
  2. Destrutiva: “É assim que você vai apresentar esse trabalho? Olha essas linhas! Que estilo de letra é esse? Parece trabalho de 5º ano. Olha esse título... Ridículo, João. Mude isso já, se vira. É simplesmente inaceitável, assim você não vai a lugar algum. Tanto tempo aqui, e não aprendeu nada? Qual é o seu problema?”

No primeiro exemplo, veja que a pessoa que recebeu a crítica sentirá que, apesar das falhas, tem o suporte de quem a criticou. Ela se sentirá mais segura para desempenhar sua tarefa e terá mais confiança. Algo bem diferente acontece no segundo exemplo, em que não há sugestão alguma de como melhorar. Além disso, a maneira como a crítica foi realizada arruína a autoestima da pessoa, que pode acreditar, a longo prazo, que não tem competência alguma para a função.

Contornando o medo de receber críticas

Normalmente, ter o suporte de um superior é muito bom, mas não podemos depender unicamente dele. Ser mais confiante no trabalho é algo que você mesmo deve desenvolver por conta própria. Algumas dicas para que você desenvolva sua autoconfiança são:

  • Entender que um tropeço não deve ser visto como o fim do mundo. Errar faz parte do processo de crescimento. O que você precisa fazer é olhar para esse erro como se fosse uma lição de casa, não como algo que te levará para a guilhotina.
  • Lembrar de todos os obstáculos que você já derrubou. Se você já foi capaz de aprender e dar a volta por cima uma vez, poderá fazer isso mais vezes.
  • Receber as críticas e analisá-las. Ao fazer essa análise, você poderá filtrar o que absorverá (as construtivas, as que realmente te mostrarem um caminho), e eliminará as que não apresentarem proposta alguma de melhora.

2. Deixe de achar que o seu trabalho vale menos que os demais

Na escola, é muito comum que os alunos façam comparações. Comparam as mochilas, o número de saltos que podem dar, a grafia, as notas, entre muitos outros itens. A comparação, tal como as críticas, sempre está presente em nossas vidas. Comparamos para nos convencermos de que um elemento é melhor que o outro. Ao relacionarmos duas pessoas, com base em características, pertences ou atitudes, poderemos enaltecer uma delas e, em contrapartida, fazer com que a outra se sinta muito mal.

O grande problema das comparações é que sua principal consequência é o rebaixamento de uma das partes comparadas, que tenderá a se sentir com menor valor. Caso isso aconteça de maneira constante, essa pessoa poderá levar essa experiência consigo (e as sensações surgidas a partir dessa experiência) por muitos anos, o que pode perdurar pela vida adulta. Para que esse quadro seja revertido e, consequentemente, você passe a ser mais confiante no trabalho, atente-se para o seguinte:

  • Faça o seu trabalho. Você foi contratado para desenvolver o seu trabalho, não para compará-lo com o dos demais funcionários. Portanto, mantenha o foco em fazer o seu melhor.
  • Peça a opinião de outras pessoas. Caso desconfie da qualidade do seu trabalho e ache que há defeitos nele, peça a opinião (um feedback) de um mentor, coordenador ou chefe. Ele vai gostar de saber que você está preocupado com a qualidade do trabalho que faz.
  • As críticas que receber não deverão tirar o valor do que você faz. Use críticas construtivas para agregar valor à sua atividade. Analise friamente as negativas e entenda que caso elas não sejam úteis, se tornarão são totalmente dispensáveis e pequenas diante do valor do seu trabalho.

3. Confie mais em você mesmo

Finalmente, quando temos medo de sermos criticados e pela ideia de que nosso trabalho não é tão bom quanto os demais, não avançamos. Avançar, neste caso, significa apresentar novas ideias e contribuir para o crescimento dos companheiros da empresa.

Quando você passa a filtrar as críticas, se torna uma pessoa mais confiante no trabalho. Quando você entende e assimila que seu trabalho não deve estar sujeito às comparações e que é o maior responsável pelo seu valor, torna-se um profissional com mais confiança. Como consequência, ao se visualizar como alguém que dá ouvidos a quem merece, e cujo valor de trabalho é independente dos demais, acaba se tornando uma pessoa capaz de fazer a diferença.

Um profissional capaz de fazer a diferença no trabalho é uma pessoa que inspira as demais. É um espelho, um exemplo, um molde, uma referência, um marco, um parâmetro. A escolha é sua. Você quer fazer a diferença no trabalho ou vai se contentar em ser marcado com uma pessoa qualquer?

4. Mantenha o equilíbrio

Embora o assunto aqui seja a falta de confiança, devemos nos lembrar de que o excesso dela também é muito perigoso. Quando a temos em alta concentração, acabamos ignorando os possíveis problemas. Portanto, a moderação em relação à maneira como vemos as nossas capacidades é extremamente necessária.

Esperamos que este artigo seja o início de sua transformação no trabalho. Um profissional com mais confiança em si, rende mais e melhor e passa a ser mais valorizado dentro da empresa. Tenha em mente que as pessoas passarão a vê-lo da mesma forma como você se vê.

Além deste artigo, é possível encontrar muitos vídeos que ensinam a melhorar a autoconfiança em suas capacidades. Saber incorporá-los ao seu dia a dia é uma tarefa simples que, aos poucos, fará uma enorme diferença a médio e longo prazo. Por isso, aprenda a receber e analisar as críticas que os outros fizerem sobre seu trabalho. Além disso, dê mais valor ao seu trabalho e tenha a ousadia de inovar, contribuir e fazer a diferença. O resultado dessa soma será a sua plena satisfação profissional. Você se verá como alguém melhor, e essa será, também, a forma como os demais profissionais passarão a vê-lo.

Relacionados

Ver mais 

Saiba como usar a inteligência emocional no trabalho

Inteligência é emocional é tema recorrente no ambiente de trabalho. Entenda melhor como funciona e como poderá ajudá-lo no dia a dia de sua vida profissional.

O que é liderança e dicas para ser um bom líder no trabalho

Saiba o que é liderança e qual a importância de líderes nas empresas. Conheça os principais tipos de liderança e como você pode ser um bom líder no trabalho.