6 oportunidades de especialização em educação especial

Atualizado em: 26 de fevereiro de 2023

A educação no Brasil é direito de todos. Para que isso ocorra de forma igualitária, inúmeras estratégias são necessárias, dentre elas, oportunidades de aprendizado inclusivas que possam atender a estudantes com necessidades especiais de ensino. Nesse contexto, uma formação diferenciada na área de ensino é necessária para que profissionais da educação possam eficazmente promover a inclusão.Se você almeja trabalhar com ensino-aprendizagem no enfoque de estudantes com deficiência e dificuldade de aprendizado, saiba que as opções de especialização em educação especial podem contemplar o que você precisa. Neste artigo conheça um pouco sobre as diferentes ênfases, os objetivos e especificações de cada uma delas, além de ficar por dentro das oportunidades que se abrem com essa formação.
Vagas relacionadas no Indeed
Vagas de meio período
Ver mais vagas no Indeed

O que é educação especial?

A educação especial é a área do ensino voltada ao ensino para pessoas com necessidades especiais, também conhecida como educação especial e inclusiva. Na visão da Política Nacional de Educação Especial, a escola representa um "espaço de acolhimento e inclusão de todos os estudantes, de respeito às singularidades frente à diversidade da população escolar e desenvolvimento do trabalho colaborativo".A luta pela inclusão e a busca de estratégias que ajudem e tornem acessível o aprendizado a pessoas com necessidades especiais estão cada vez mais em pauta na atualidade, mas ainda enfrentam, entre outros desafios, o déficit de profissionais verdadeiramente qualificados na área.Relacionado: Principais habilidades de um professor (e dicas sobre como desenvolvê-las)

Como é a especialização em educação especial no Brasil?

A especialização em educação especial é uma formação continuada para professores que querem se aperfeiçoar e trabalhar na área de educação de pessoas com necessidades especiais de aprendizado, com estratégias de inclusão.Trata-se de uma pós-graduação, ou seja, é necessária uma graduação prévia em pedagogia ou licenciatura. Caso você ainda não tenha graduação, mas já sabe que quer trabalhar na área, você pode verificar como se tornar professor ou professora.Essa modalidade de pós-graduação visa preparar profissionais para atuarem em:
  • avaliação diagnóstica educacional
  • planejamento, intervenção e gestão de atividades que promovam a educação inclusiva nos sistemas de ensino
  • aplicação de metodologias e pedagogias direcionadas para as dificuldades do aluno
  • adaptação curricular
  • criação de materiais pedagógicos acessíveis
  • utilização de recursos de tecnologia assistiva
  • atendimento educacional especializado
  • ensino por meio da língua brasileira de sinais (libras) e do código braille
A tecnologia assistiva, por exemplo, é um conjunto de ferramentas que trabalha a favor da inclusão e da acessibilidade. Essas e muitas outras atualidades são estudadas em cursos de especialização da área.

Como escolher a melhor pós-graduação em educação especial?

A melhor pós-graduação em educação especial é aquela que atende as expectativas que você busca. Atualmente, existem 3.441 cursos de especialização ativos e autorizados pelo MEC na área de educação especial e inclusiva.Abaixo você confere uma lista de perguntas que podem ajudar na sua avaliação dos cursos de especialização, de acordo com as suas necessidades.

1. O curso é voltado para a área da educação especial em que você quer se especializar?

Escolha o que for melhor para obter e aprimorar suas qualificações profissionais. Para isso é indicado estudar a grade curricular do curso e o mercado de trabalho.

2. Quanto tempo dura a especialização?

Você prefere especializações com cargas horárias mínimas, de 360 horas como aprovado pelo MEC, ou prefere um curso mais extenso para aprofundar-se mais nos estudos? A duração do curso é uma das informações necessárias ao colocar sua pós-graduação no currículo.

3. É na modalidade presencial ou à distância?

Segundo o MEC, mais da metade dos cursos de especialização são remotos atualmente. É interessante refletir se para você vale a pena estudar à distância ou frequentar uma unidade de ensino. Ambas as opções têm vantagens e desvantagens e também existe o ensino híbrido ou modalidade mista.

4. O corpo docente é composto por profissionais de referência ou com autoridade na área?

Uma das formas de saber isso é verificar a trajetória educacional e profissional de quem leciona no curso. A Plataforma Lattes é bastante utilizada no meio acadêmico e um local onde você encontra essas informações para responder à pergunta.

Principais cursos de especialização na área de educação especial

Conheça algumas das muitas áreas de estudo em educação especial e verifique se algum delas é o que você busca.

1. Educação especial e inclusiva

O curso tem como objetivo que você conheça o geral da educação especial e inclusiva, além das suas metas com esse tipo de abordagem. Permite identificar pessoas que tenham necessidades educacionais especiais, planejar práticas inclusivas, organizar e implementar adaptações pedagógicas e curriculares. Uma das instituições que oferece a especialização é a Unilasalle, com curso no modelo on-line com e duração de apenas um ano.

2. Psicopedagogia

A psicopedagogia tem como objetivo compreender os diferentes fatores envolvidos no processo de aprendizagem, como fatores biológicos, sociais, cognitivos e comportamentais. A especialização nesta área permite trabalhar na prevenção e no tratamento dos problemas de aprendizagem, identificar intervenientes e propor adaptações ao processo de ensino.A PUC-SP oferece esse curso de forma virtual na modalidade síncrona (aulas em tempo real, com data e hora marcada), com duração de dois anos e meio.Leia mais: O que faz um psicopedagogo

3. Neuropedagogia

Essa área estuda o desenvolvimento do sistema nervoso e a aquisição de habilidades cognitivas. Analisa a memória, atenção, resposta a estímulos, linguagem e raciocínio lógico e o quanto auxiliam no processo escolar.A proposta do curso se baseia na neurociência, tecnologias digitais e transtornos de aprendizagem. Essa formação é dada pela Pós Educação Unisinos no curso Neurociência e aprendizado no contexto escolar.

4. Educação especial — ênfase em deficiências (uma ou mais)

O objetivo de estudar essa área é dar subsídios teóricos e metodológicos para estratégias pedagógicas de avaliação, adaptação, inclusão e atendimentos de pessoas com dificuldade no aprendizado por alguma deficiência intelectual, física ou psicomotora.Na FAMEESP esse curso tem duração de 18 meses e oferecido na modalidade presencial.

5. Educação especial e inclusiva — ênfase em surdez e libras e em deficiência visual e braille

O objetivo desse curso é habilitar profissionais ao atendimento educacional inclusivo e direcionado a alunos cegos e surdos. Você também sai com capacitação na linguagem de sinais e método braille. Esse curso pode ser feito pelo Instituto Nacional de Ensino (Ine) de forma on-line, com um total de 550 horas/aula.

6. Educação especial para o transtorno do espectro autista

Capacitar profissionais para avaliação, planejamento, intervenção e implementação de modelos de inclusão de crianças, adolescentes e adultos com deficiência, altas habilidades/superdotação ou necessidades educacionais especiais de qualquer ordem ou grau, mas principalmente com transtornos do espectro autista. Esse curso está disponível no modo híbrido na Unasp, com duração de 15 meses.Como dito, as áreas de especialização em educação especial não se limitam a essas seis oportunidades. Ênfases em psicomotricidade, educação física e outros ramos também estão disponíveis em algumas faculdades no Brasil.Relacionado: Modelo de currículo de professor

Onde atuar como especialista de educação especial

Com o certificado de especialista em educação especial, você pode atuar em educação especial em instituições públicas ou privadas. Dentre as atividades que a titulação lhe qualifica a executar estão:
  • Ministrar aulas em séries iniciais, fundamental e médio, conforme a graduação, em escolas regulares ou instituições educacionais especializadas.
  • Atuar como profissional de apoio de alunas e alunos com necessidades especiais.
  • Realizar atendimentos educacionais especializados em escolas.
  • Realizar atendimentos particulares em consultórios ou clínica.
  • Assumir cargos de orientação ou coordenação pedagógica.
  • Ser intérprete educacional
  • Atuar como intérprete de libras
Vale a pena se informar também sobre o salário de professor no Brasil. Assim, você tem mais embasamento para decidir sobre a viabilidade dessa formação para a sua carreira e como ela encaixa melhor aos seus objetivos de vida.Aviso legal: informamos que nenhuma das empresas, instituições ou organizações mencionadas neste artigo é afiliada ao Indeed.
Compartilhar:
  • Twitter
  • LinkedIn
  • Facebook
  • E-mail
Esse artigo é útil?

Artigos relacionados

Quanto ganha um diretor de escola

Leia mais artigos