Quais os motivos para pedir demissão

Por Equipe editorial do Indeed

Publicado em: 30 de novembro de 2021

Você tem motivos para pedir demissão? Tomar essa decisão pode não ser uma tarefa fácil se não houver outra oportunidade em vista e pode gerar uma certa insegurança, mas existem fatores que você precisa levar em consideração, principalmente se percebe mais contras do que prós para continuar no emprego atual. Mas o que leva as pessoas a pedir demissão?

No Brasil, todos os anos a pesquisa FIA Employee Experience avalia a experiência dos colaboradores em seus ambientes de trabalho entrevistando milhares de pessoas. Em 2020, foram ouvidos 150 mil participantes e a pesquisa apontou três motivos fundamentais que levam as pessoas a pedir demissão. Esses e outros fatores serão abordados neste artigo para ajudar você em sua avaliação.

Por que as pessoas pedem demissão

A pandemia de covid-19 fez as pessoas repensarem sua relação com o trabalho, o que realmente importa e é prioridade em suas vidas. Elas têm colocado saúde, bem-estar, qualidade de vida e tempo livre com a família acima de questões salariais, cargos e status. Além disso, levam em consideração como as empresas se relacionam e se posicionam com ações que priorizam o lado humano.
A pesquisa Great Attrition or Great Attraction? The choice is yours ("Grande Evasão ou Grande Atração? A escolha é sua" em português), realizada pela consultoria McKinsey, apontou um recorde de pedidos de demissão nos Estados Unidos desde abril de 2021, com mais de 15 milhões de demissões voluntárias, mesmo em meio a uma crise econômica. Na pesquisa realizada em cinco países (Austrália, Canadá, Singapura, Reino Unido e Estados Unidos), 40% dos entrevistados disseram que existe a probabilidade de pedirem demissão nos próximos 3 a 6 meses. Essas informações nos mostram como as pessoas estão se posicionando no trabalho. A pesquisa FIA Employee Experience feita em 2020 no Brasil apontou os seguintes motivos para o trabalhador pedir demissão:

  • 27%: falta de reconhecimento no trabalho

  • 26%: falta de ética na empresa

  • 19%: falta de equilíbrio entre vida profissional e pessoal

Por trás de toda decisão, há questões que motivaram essas pessoas e talvez sejam as mesmas que têm feito você repensar o seu trabalho neste momento.

10 razões para pedir demissão

O que move você no seu trabalho? Tudo que fazemos tem um propósito e nos motiva a acordar todos os dias e fazer algo pela empresa e pelas pessoas que dependem de nossos esforços. Tem dias que são mais difíceis e cansativos e é normal sentir desânimo algumas vezes, mas se isso virou rotina e você não encontra mais motivação para trabalhar, talvez seja hora de repensar seu trabalho, analisar o que tem influenciado sua desmotivação e tomar uma decisão para não estagnar sua carreira e piorar a situação. Abaixo listamos 10 motivos mais comuns que incentivam alguém a deixar o trabalho atual.

1. Valores divergentes e falta de ética

É muito comum no processo seletivo e na integração as empresas apresentarem missão, visão, valores e cultura organizacional que correspondem aos nossos valores e no que acreditamos, e isso nos motiva e faz sentir orgulho de poder trabalhar nesse ambiente. Porém, à medida que conhecemos mais a cultura, rotina, lideranças e como a empresa age no dia a dia com as pessoas, clientes e fornecedores, percebemos que a prática não é igual à teoria que foi apresentada. Quando isso acontece, o trabalhador se sente desconectado, criando uma desmotivação e desânimo que viram motivos para se repensar a continuidade nesse emprego.

2. Ausência de inclusão, diversidade e respeito pelo ser humano

São três fatores graves que geram um sentimento de descontentamento, falta de pertencimento e reconhecimento entre os colaboradores e a empresa. Nesse sentido, além de não atender um direto básico de toda pessoa, não existe um ambiente favorável para criatividade, colaboração e respeito.

3. A empresa não cumpre o que promete

É frustrante trabalhar em uma organização que não cumpre os compromissos assumidos com clientes, fornecedores e colaboradores, mostra falta de ética, reconhecimento e respeito a todos que colaboram com o crescimento da empresa.

4. Falta de reconhecimento e plano de carreira

A pesquisa da FIA apontou que 37% dos brasileiros entrevistados pensam no longo prazo quando se fala em crescimento de carreira e dão mais valor à possibilidade de crescimento na organização do que ao salário, então quando não se sentem valorizados, a frustação e o descontentamento se tornam suficientes para procurar uma oportunidade melhor onde serão reconhecidos.

5. Ambiente hostil

Trabalhar em um ambiente com uma liderança hostil é um fator importante a se considerar. É preciso entender os motivos, se é uma questão de personalidade ou característica das lideranças da empresa, ou seja, se o líder é assim mesmo ou se é uma cultura que vem da diretoria e da empresa como um todo.

6. Receber uma proposta mais vantajosa

A verdade é que se você não está completamente feliz no trabalho atual, quando receber uma proposta melhor, seja porque lhe ofereceram uma oportunidade ou porque você buscou uma oferta mais atrativa, é bem provável que você decida aceitar o novo emprego. Porém, antes de tomar a decisão, é importante investigar a empresa interessada, verificar se tem avaliações positivas, como é a cultura organizacional e avaliar se não vai encontrar os mesmos motivos que fizeram você desistir do seu atual trabalho.

7. Transição de carreira

A decisão de tomar um outro rumo, seja para empreender em um negócio próprio ou mudar de segmento, é um dos motivos para pedir demissão. A realização pessoal em um novo plano de carreira motiva e desperta criatividade em aprender algo novo.

8. Falta de equilíbrio entre vida profissional e pessoal

Um dos fatores que mais tem pesado na decisão recentemente é a falta de flexibilidade nos horários. Com a adoção do home office e o trabalho remoto, as pessoas viram que é possível realizar suas tarefas de qualquer lugar e que desperdiçar tempo com deslocamento é improdutivo, além disso, perceberam uma melhor qualidade das relações com a família que estão mais próximas. Por isso, muitas pessoas pedem demissão quando a empresa decide adotar a jornada presencial sem antes ouvir o que é melhor para seus colaboradores e deixa de implantar uma rotina de trabalho mais flexível.

9. Insatisfação com as responsabilidades

Quando a liderança não conhece o perfil e as competências de cada funcionário, pode atribuir atividades que não são ideais para a pessoa realizar. Outra situação que pode acontecer é a atribuição de tarefas que não fazem parte das responsabilidades do cargo, gerando descontentamento e insatisfação.

10. Insatisfação com o ambiente de trabalho

Isso pode acontecer quando não há colaboração, confiança e trabalho em equipe, o que faz com que cada um trabalhe por si só, criando um ambiente competitivo e hostil entre os colegas. A liderança tem papel fundamental para identificar esse problema e corrigi-lo, caso contrário, o resultado é um clima pesado no trabalho.

Há outros motivos que também podem influenciar a decisão de pedir demissão, como optar por voltar aos estudos sem possibilidade de conciliar com o horário de trabalho, uma mudança de cidade ou uma viagem longa como intercâmbio. Seja qual for a situação, antes de tomar a decisão, é importante verificar se não há uma alternativa, como procurar uma recolocação dentro da própria empresa, por meio de programas de oportunidades internas, ou conversar com a liderança para tentar encontrar uma saída (a não ser que seja uma liderança hostil e essa não seja uma opção).

Planeje sua demissão

A partir do momento que você decide pedir demissão, o ideal é planejar sua saída. Você pode tentar uma recolocação enquanto ainda está trabalhando, procurar uma consultoria em outplacement e fazer uma reserva financeira para que consiga se manter por alguns meses até se recolocar. Uma boa estratégia para avaliar sua decisão é listar os pontos positivos e negativos do seu atual trabalho, as vantagens e desvantagens que você terá se permanecer e se sair. Por fim, analise dois cenários: você tem que continuar no emprego porque é a única alternativa e, depois, você tem que sair do emprego porque é a única alternativa. A situação que faz com que você se sinta melhor pode indicar qual a melhor decisão a ser tomada.

Como pedir demissão

Tomada a decisão, é hora de formalizar a sua saída. Chame sua liderança para conversar pessoalmente, não faça por chamada telefônica ou por aplicativo de mensagens. Lembre-se de agir sempre com ética, independente do motivo de sua saída, mesmo que por pontos negativos da empresa ou da liderança, pois as pessoas com quem trabalha hoje podem estar no mesmo segmento que você no futuro ou podem indicar você para algum contato ou outra oportunidade no mercado, principalmente se gostarem do seu trabalho. Informe o motivo de forma objetiva, seja por razões pessoais como mudança, estudos, necessidade na família, investimento em um projeto pessoal, ou por uma razão profissional como uma oportunidade que não poderia ser recusada por estar dentro do seu objetivo de carreira. Com uma atitude ética e transparente, as pessoas se sentirão respeitadas e você deixará a empresa mantendo um bom relacionamento.

Relacionado: Como escrever uma carta de demissão: dicas e exemplos

Prepare-se para o mercado

O bom profissional pode encontrar oportunidades mesmo estando fora do mercado, por isso, é importante desenvolver novas habilidades, ter boas referências, um bom relacionamento com clientes, buscar o reconhecimento de lideranças que acompanharam sua evolução, investir em cursos, certificações e idiomas, elaborar um bom currículo e resumo nos aplicativos de conexão profissional. Essas são estratégias importantes para ter uma boa visibilidade e empregabilidade. Em muitos casos, é comum profissionais assim receberem convites de headhunters ou recrutadores para participar de processos seletivos, mesmo sem a pessoa ter ido atrás da vaga, então pense nisso para se preparar melhor para o mercado.

Relacionado: Conheça as 10 habilidades para o futuro do trabalho e saiba como desenvolvê-las

Aviso legal: informamos que nenhuma das empresas mencionadas neste artigo é afiliada ao Indeed.

Leia mais artigos