Diferença entre analista e assistente e pré-requisitos

Atualizado em: 1 de setembro de 2023

Para ter uma melhor estrutura organizacional, as empresas definem níveis hierárquicos para que os empregados conheçam os cargos e as funções a serem desempenhadas. Dois cargos comuns são os de analistas e de assistentes. Confira neste artigo informações sobre a diferença entre analista e assistente, bem como as características detalhadas de cada um e os pré-requisitos necessários para desempenhar essa função.
Vagas relacionadas no Indeed
Vagas de meio período
Ver mais vagas no Indeed

Por que é importante conhecer os níveis hierárquicos de uma empresa?

Assistente e analista são os nomes dados pelas empresas a cargos cujas funções, dependendo da empregadora, podem variar bastante. É possível ver em uma mesma empresa pessoas ocupando o cargo de assistente de vendas, ou analista de vendas; ou assistente e analista de outro departamento da empresa, como de RH, por exemplo.No entanto, a diferença entre tais categorias nem sempre parece ser clara, pois algumas empresas ao divulgar as vagas de emprego, tendem a se equivocar na descrição da vaga, não definindo bem o alinhamento do nível hierárquico com os requisitos e as funções do cargo.Entretanto, a compreensão aprofundada dos níveis hierárquicos no mercado de trabalho é essencial para que as empresas possam melhor definir as funções e o que esperam de seus empregados e, assim, possam montar uma equipe mais bem-estruturada e orientada. Os empregados, por sua vez, devem procurar se candidatar às vagas condizentes ao seu nível profissional de acordo com os pré-requisitos que constam em seus currículos.

Diferentes responsabilidades de assistentes e analistas

De forma geral, a diferença entre assistentes e analistas está no nível de formação profissional e no tempo de experiência do cargo.As pessoas que ainda cursam a faculdade ou que fazem estágio na área de atuação profissional podem iniciar no cargo como assistentes. Há também outra possibilidade que considera que especialistas com experiência prévia no cargo de auxiliar por um período de seis meses a dois anos podem se tornar assistentes. Os analistas, por sua vez, devem ter a graduação concluída ou experiência prévia de dois a três anos como assistente.Logo, outro fato a ser observado é que analistas desempenham atividades focadas na parte estratégica de uma empresa e que, por isso, o cargo requer maior nível de responsabilidade em função do nível de complexidade e da necessidade de conhecimento técnico sobre as tarefas que exercem. Por outro lado, assistentes concentram as atividades no âmbito operacional e na prestação de apoio a analistas.

O que faz um assistente?

A função de assistente tende a demandar conhecimento técnico para oferecer uma boa assistência e suporte. Desse modo, as pessoas que ocupam esse nível hierárquico são incumbidas de assistir os demais colegas de trabalho como analistas, supervisores, gestores e chefes.Além de todas as tarefas como assistentes que devem exercer, as funções desempenhadas também apresentam um teor de controle e organização, de modo a ajudar a facilitar e agilizar os processos das pessoas a quem dão suporte. Por isso, é importante compreender que o cargo de assistente exerce um papel essencial nas organizações e pode ser promissor se bem-executado, possibilitando que esses profissionais alcancem níveis hierárquicos mais elevados se tiverem elaborado e seguido um bom plano de carreira e preparo.

Quais sãos as atribuições e características gerais de um assistente?

Assistentes, de forma geral, exercem as seguintes tarefas:
  • cadastram e alteram documentos de clientes
  • dão atendimento à equipe interna e externa
  • acompanham a conferência de estoque, de recursos ou da administração de pessoal
  • oferecem suporte a clientes
  • leem, respondem e encaminham e-mails ou mensagens recebidas em outros canais da empresa
  • auxiliam na organização de processos
  • acompanham o status dos pedidos
  • prestam assistência aos departamentos, à gerência e à diretoria
  • auxiliam na elaboração de relatórios, planilhas, checklists e procedimentos
Abaixo estão os pré-requisitos apontados com maior frequência nas vagas para assistentes:
  • senso de colaboração
  • boa comunicação (escrita e verbal)
  • domínio do pacote office
  • ensino médio completo ou superior (em andamento)
Apesar do cargo de assistente exigir o ensino médio completo ou que candidatos estejam cursando o nível superior na área de atuação, há um maior número de oferta de vagas nesse nível hierárquico para quem cursa administração, logística, RH e finanças. Isso talvez ocorra porque elas são mais abrangentes e, por isso, permitem que os profissionais atuem em uma série de subcategorias dentro de uma empresa.Por exemplo, assistentes financeiros podem exercer funções no setor contábil, comercial e de vendas. Assistentes de logística podem desempenhar tarefas no setor de armazenamento, distribuição ou transporte de mercadorias, enquanto assistentes administrativos podem auxiliar no controle, planejamento e no monitoramento em vários departamentos de uma organização.

O que faz um analista?

O cargo de analista também requer uma série de conhecimentos técnicos e de responsabilidades. Os profissionais que ocupam esse nível hierárquico devem analisar, planejar, executar e apontar melhorias e soluções de ordem administrativa, de forma a alcançar os resultados estabelecidos.Os analistas podem usar dados públicos obtidos através de pesquisas para analisá-los e compreender processos, produtos, serviços ou até mesmo as tendências do mercado, para ter a compreensão necessária e, a partir disso, criar estratégias e traçar planos de ação para uma empresa.Os analistas precisam ter um diploma de tecnólogo ou de bacharelado na área em que pretendem atuar ou que atuam. Ainda assim, uma pós-graduação na área pode ser vista como um adicional, além de poder ajudar os profissionais a ter um maior conhecimento específico e um currículo mais consistente.Relacionados:

Quais são as atribuições e características gerais de um analista?

Em geral, analistas desempenham as seguintes atividades:
  • fazem pesquisas de mercado
  • solicitam fontes e dados para a oferta de análises e pesquisas
  • analisam balancetes, demonstrativos e orçamentos
  • revisam movimentações bancárias
  • fazem análises dos indicadores de desempenho
  • identificam a causa raiz de incidentes
  • monitoram e detectam falhas nos procedimentos e apontam melhorias
  • geram relatórios de análise de dados
  • oferecem sugestões e orientam supervisores da empresa
Além disso, os pré-requisitos que aparecem com mais frequência nas vagas de analistas são:
  • nível superior completo na área de atuação
  • experiência mínima de dois anos na área
  • conhecimento em Power BI, Tableau, planilhas e banco de dados
  • conhecimento de formas diversas de pesquisa on-line
  • atenção aos detalhes para identificar e corrigir problemas rapidamente
  • organização para lidar com a demanda em tempo hábil, respeitando os prazos
O cargo de analista também abrange várias áreas do meio corporativo. Assim sendo, é possível pesquisar sobre vagas desse nível hierárquico para profissionais de marketing, administração, financeiro, TI, logística, RH entre outros diversos setores.Relacionado: Exemplos e definições dos tipos de analistas

Quais são os níveis de analista?

Os profissionais que atuam no cargo de analista podem se enquadrar nos níveis de experiência "júnior", "pleno" e "sênior". Isso só será feito se a política interna da empresa tiver adotado essa classificação.Outro fator importante é que essas classificações de nível de experiência são aplicadas a partir do cargo de analista. Sendo assim, é possível que a empresa escolha não usar esses termos para definir a experiência da pessoa que ocupa esse cargo.No entanto, de modo geral, pode-se verificar que os níveis:
  • Júnior: refere-se a profissionais que têm experiência máxima de cinco anos.
  • Pleno: é dado para especialistas que apresentam entre seis e nove anos de experiência.
  • Sênior: é atribuído para especialistas que têm a partir de 10 anos de experiência no cargo.
Para os empregados, a vantagem desse sistema de classificação pode repercutir na diferença salarial entre júnior, pleno e sênior, uma vez que esse método também é usado pelas organizações para motivar e fidelizar talentos. Por isso, quanto maior o nível, maior tende a ser a remuneração.Por outro lado, o grau de responsabilidade, de complexidade e de autonomia também tende a ser maior. Os analistas plenos, por exemplo, são especialistas que atingiram um nível de maturidade profissional suficientemente alto para poder assumir tarefas de supervisão e de liderança.Para as empresas, a vantagem de adotar essa classificação é poder ajudar a diminuir o índice de rotatividade de funcionários, bem como contribuir com a estruturação e manutenção de uma equipe dinâmica, com conhecimento vasto e com maior aptidão para apontar melhorias, inovações e soluções para os processos da organização.Nos níveis hierárquicos acima dos analistas, como os de supervisão, coordenação, gerência e diretoria também é possível aplicar essa classificação baseada no tempo de experiência dos profissionais, caso a empresa opte por isso.Relacionado: Quanto ganha um analista pleno
Compartilhar:
  • Twitter
  • LinkedIn
  • Facebook
  • E-mail
Esse artigo é útil?

Leia mais artigos