Conheça as habilidades e competências esperadas de técnicos de enfermagem

Atualizado em: 22 de dezembro de 2023

Seja em hospitais, clínicas ou em unidades de saúde, as habilidades e competências de técnicos de enfermagem são tão úteis quanto necessárias para o atendimento de pessoas com as mais variadas queixas de saúde. Para trabalhar com excelência nessa área, veja, neste artigo, quais são as habilidades técnicas e comportamentais (hard skills e soft skills) mais requisitadas para quem trabalha na prática da enfermagem.
Vagas relacionadas no Indeed
Vagas de meio período
Ver mais vagas no Indeed

Quais as habilidades técnicas de técnicos de enfermagem?

Ao estudar para trabalhar como técnica ou técnico de enfermagem, você aprende como limpar feridas, fazer curativos, puncionar veias e verificar a pressão arterial, por exemplo. Essas são algumas das habilidades indispensáveis para o exercício da profissão. Confira abaixo uma lista de aptidões exigidas de você nesse contexto:
  • auxiliar pacientes na coleta de material para exames de laboratório;
  • fazer a coleta de sangue para exames clínicos;
  • verificar sinais vitais, segundo prescrição médica e do corpo da enfermagem;
  • fazer a leitura do prontuário de pacientes;
  • preparar medicamentos para administração por via oral, tópica, intradérmica, intramuscular, subcutânea, endovenosa e retal, sob supervisão de profissionais da enfermagem;
  • fazer a movimentação e o transporte de pacientes de forma segura.
Na maioria dos ambientes, você lidará com vidas com alguma fragilidade, seja física, psicológica ou emocional — e, talvez, com todas elas juntas. Portanto, para exercer seu trabalho da melhor forma na área da enfermagem, focar apenas na destreza em procedimentos técnicos pode não ser o suficiente. Nessa profissão, você deve prestar um atendimento o mais humanizado possível, razão pela qual suas habilidades comportamentais são tão importantes, como descrito adiante.Relacionado:

Conheça as 5 principais habilidades comportamentais para técnicos de enfermagem

Enquanto as habilidades técnicas que você aprende no curso técnico de enfermagem são essenciais para exercer a profissão, as competências ditas humanas estão mais relacionadas à sua história de vida e à sua personalidade. Embora possível, é mais difícil aprendê-las com cursos ou capacitação.Elas são adquiridas, principalmente, na vida prática e compõem uma série de qualidades relacionadas ao caráter ou ao comportamento da pessoa no ambiente corporativo. Para quem quer conquistá-las, é preciso querer se observar, trabalhar com autoconhecimento e autoanálise para, assim, encontrar seus pontos fracos e aperfeiçoá-los.As profissões da área da saúde exigem que você goste de trabalhar com pessoas e seja sensível à vida. Características como essas podem transformar o estado de ânimo e trazer conforto emocional de pacientes, o que medicamentos e demais aparatos médicos não podem oferecer. Veja o que você precisa para desenvolver e usar as melhores habilidades pessoais no seu trabalho e para se diferenciar no cargo.

1. Facilidade para trabalhar em equipe

No cargo de técnico, você não trabalhará sem a supervisão do staff de enfermagem, termo usado ambiente hospitalar para a equipe da área. Você também atuará seguindo a prescrição da equipe médica, de nutricionistas, fisioterapeutas e até outros profissionais da saúde.Para ter sucesso, você deve aprender a trabalhar bem em equipe, cumprir as tarefas delegadas, pedir ajuda quando necessário e compartilhar casos de pacientes com o restante da equipe multiprofissional. Essa é uma profissão em que uma vida pode depender da boa comunicação e trabalho eficiente da equipe.Relacionado: Trabalho em equipe: definição e exemplos

2. Empatia

Essa é uma das principais habilidades que você deve desenvolver para trabalhar com enfermagem. Ter empatia é conseguir colocar-se no lugar do outro, compreender suas dores, atitudes e as possíveis razões de suas dificuldades. Com isso, você pode oferecer um serviço humanizado, respeitoso e ético.Relacionado: Saiba o que é a escuta empática e como utilizá-la a seu favor

3. Comunicação efetiva

Uma boa comunicação deve ser efetiva. A mensagem deve chegar clara e ao destinatário correto. Muitas pessoas são boas com relacionamentos interpessoais, mas não necessariamente comunicam-se de forma clara e objetiva. Em um ambiente profissional, especialmente na área da saúde, saber comunicar-se bem de forma verbal e escrita é fundamental para passar informações certas a pacientes e repassar sobre a evolução clínica para a equipe multidisciplinar.Essa é uma das habilidades não técnicas que se pode aprimorar com dicas e cursos, além de aprender com a prática do dia a dia e com o feedback de quem trabalha com você. Ao escrever e ao falar, reflita se sua mensagem está clara (conteúdo), se o ritmo está adequado (contexto) e se outra pessoa que não soubesse nada do assunto entenderia grande parte do que você quer comunicar (finalidade).Relacionado: O que é e quais são os 4 tipos de comunicação

4. Organização

A rotina de quem trabalha nessa profissão exige que o ambiente de trabalho esteja sempre organizado, limpo e descontaminado, bem como que os materiais estejam em ordem e etiquetados. Além disso, quem trabalha como técnica ou técnica de enfermagem zelará por vários pacientes no mesmo turno e deverá manter atualizado o prontuário de cada pessoa.Pesquise algumas dicas de organização no trabalho para se inspirar em exemplos práticos de alguém que tenha essa habilidade em seu ambiente profissional e comece a colocá-la em prática em sua rotina.Relacionado: Como organizar sua mesa de trabalho

5. Inteligência emocional

Embora essa seja uma das habilidades essenciais no contexto da saúde, ela também não é tão fácil de se conseguir. A rotina mescla uma crescente pressão por aliviar o sofrimento humano, salvar vidas e lidar com desfechos e fatores indesejáveis. Segundo publicação do COFEN — Conselho Federal de Enfermagem — a classe profissional tem um grau de estresse constante, o qual deve ser compensado.A inteligência emocional (IE) concentra-se em separar a razão da emoção e tentar ter controle do “estado de espírito”. Na área da saúde, entretanto, isso pode ser muito mais desafiador, já que essa separação também afasta profissionais do próprio vínculo com pacientes. O mais importante, segundo pesquisas da área, é desenvolver uma alta percepção das próprias emoções, aprender a reconhecê-las e, de alguma forma, dominá-las. Nesse contexto, outras habilidades auxiliam bastante, como o autoconhecimento, a resiliência, a habilidade de lidar com pressão, a empatia e a comunicação.Aviso legal: informamos que nenhuma das empresas, instituições ou organizações mencionadas neste artigo é afiliada ao Indeed.Relacionado: Saiba como usar a inteligência emocional no trabalho

Busque melhorar sempre

O mercado de trabalho está sempre em busca de profissionais com capacidades, não apenas técnicas, mas também comportamentais, que contribuem favoravelmente em qualquer ambiente.As habilidades comportamentais são atributos pessoais que não necessariamente podem ser aprendidos em sala de aula ou durante a formação acadêmica. Contudo, através da experiência, da autocrítica, do autoconhecimento e da capacidade de saber tirar proveito de feedbacks positivos e negativos, é possível descobrir as habilidades que você tem e as que ainda lhe faltam.Gradativamente, você pode definir esses pontos como importantes para seu plano de carreira e traçar metas para desenvolvê-los. Com o tempo, o que antes era uma dificuldade, poderá ser uma grande ferramenta a seu favor, tanto no trabalho quanto na vida pessoal.Relacionados:
Compartilhar:
  • Twitter
  • LinkedIn
  • Facebook
  • E-mail
Esse artigo é útil?

Leia mais artigos