O que faz um desenvolvedor de software? Modalidades, mercado e salários

Atualizado em: 19 de fevereiro de 2024

Todos os dispositivos eletrônicos que você já utilizou — desde um telefone celular ou computador até um caixa eletrônico, uma TV ou a mesmo balança que pesou a sua comida no restaurante — têm uma coisa em comum: a presença de pelo menos uma pessoa (mas geralmente várias) com responsabilidade pelo desenvolvimento do software que os opera. Neste artigo, você se familiariza um pouco mais sobre o que faz um desenvolvedor de software, também conhecido como dev. Confira abaixo as diferentes frentes onde profissionais de desenvolvimento atuam, o mercado de trabalho para a profissão, médias de salários, e dicas para se tornar desenvolvedor de software.Aviso legal: informamos que nenhuma das empresas, instituições ou organizações mencionadas neste artigo é afiliada ao Indeed.
Vagas relacionadas no Indeed
Vagas de meio período
Ver mais vagas no Indeed

O que é um software?

Antes de saber sobre a função de quem desenvolve de softwares, é importante entender o que significa esse termo. O software pode ser definido como uma série de instruções escritas em uma linguagem capaz de ser lida por máquinas que determinam como o dispositivo deve se comportar ou como executar uma tarefa específica. Após desenvolvido, o software pode tomar diversas formas. Alguns exemplos incluem:
  • programas de computador, como editores de fotos e vídeos;
  • jogos para dispositivos móveis ou computador;
  • aplicativos;
  • sistemas operacionais;
  • softwares maliciosos, como ransomware e similares;
Em suma, softwares são criados por desenvolvedores, que escrevem códigos para que os dispositivos desempenhem diferentes tarefas.

Como é o trabalho de desenvolvedor de software?

Como o nome indica, a atribuição principal de desenvolvedores de software é a criação de programas, aplicativos, jogos e outros softwares. Em uma empresa, desenvolvedores podem ter diversas responsabilidades:
  • conduzir o ciclo de desenvolvimento de softwares;
  • escrever códigos e programar;
  • revisar códigos e aplicar correções;
  • trabalhar com outras pessoas para cumprir objetivos tecnológicos da empresa;
  • gerir times e processos de desenvolvimento;
  • conduzir testes e manutenção do software;
  • propor melhorias para as aplicações;
Vale destacar que devs podem atuar em três grandes áreas do desenvolvimento de um software: o front-end, back-end e full stack.Relacionado:

Desenvolvimento front-end

A área de desenvolvimento front-end se dedica à parte do aplicativo ou site que é visível pelo usuário final, e com a qual essa pessoa pode interagir diretamente. Desenvolvedores front-end, portanto, têm como prioridade a interface do usuário, para a qual determinam o layout de softwares e seus elementos visuais e interativos, como cores, gráficos e botões. Além disso, faz parte do desenvolvimento front-end a adaptação do código para que a interface possa ser executada em dispositivos e aplicações (como navegadores) de características diferentes e a remoção de bugs.

Desenvolvimento back-end

Devs que atuam em back-end são responsáveis pelo desenvolvimento da infraestrutura do software; em suma, a parte que os usuários não conseguem enxergar, mas que embasa suas interações. Seu foco é na funcionalidade e integração de sistemas, garantindo um bom desempenho da aplicação, assim como a sua segurança, capacidade de adaptação e escalabilidade.Desenvolvedores back-end trabalham com especialistas em front-end (e vice-versa) para que o produto tenha um funcionamento coeso e integrado.

Desenvolvimento full stack

O desenvolvimento full stack, como diz o nome ('conjunto completo'), abrange a criação tanto do front-end quanto do back-end. Profissionais full stack devem ter a capacidade de desenvolver um software completo, do início ao fim. Por conta disso, estão entre os mais cobiçados pelas empresas.Relacionados:

Desenvolvimento x programação

Quando se pergunta o que faz um desenvolvedor de software, é comum surgir a seguinte dúvida: Qual é a diferença entre desenvolvimento e programação?Isso porque pessoas atuando em ambas as profissões da área de tecnologia devem entender linguagens de programação e saber escrever códigos. Porém, diferentemente de desenvolvedores, profissionais de programação trabalham exclusivamente com a codificação, escrevendo códigos-fonte para que a máquina faça tarefas específicas, como processar os pedidos em um site, conduzir pesquisas e mostrar textos e gráficos.Já desenvolvedores, além de codificar, também precisam dominar o projeto, organizar as suas etapas, entender as demandas do mercado e trazer soluções através de softwares. Dessa forma, apesar de grande parte dos profissionais de desenvolvimento praticarem a programação, nem todos os programadores sabem desenvolver um software.

Mercado de trabalho de desenvolvimento de software

O mercado de trabalho para profissionais de desenvolvimento de software é aquecido e promete continuar dessa forma no futuro. Isso se explica pela transformação digital e virtualização cada vez maior de produtos e serviços em praticamente todas as áreas de mercado.Organizações de diversos setores têm sites, aplicativos e outros serviços de interação com o cliente, já as empresas de tecnologia têm como produto o próprio software. Há espaço para desenvolvedores de software em ONGs e no setor público, assim como em empresas de desenvolvimento e planejamento de projetos, assistência técnica e consultoria, e negócios no ramo da indústria, dos serviços e do comércio. Dessa forma, é comum haver pelo menos um dev em empresas de médio e grande porte, havendo muitas vagas de emprego para desenvolvedor de software.Leia também: Estágio em engenharia de software

Salário de desenvolvedor de software

O salário de desenvolvedor de software no Brasil é, em média, R$ 4.882,00 por mês. O valor pode variar de acordo com alguns fatores, como a localização geográfica da empresa e o seu porte. Além disso, a formação acadêmica e experiência da pessoa desenvolvedora podem influenciar no valor recebido, assim como a sua especialidade dentro do setor.Por exemplo, profissionais que se dedicam a uma das três frentes do desenvolvimento podem receber salários diferentes, assim como quem tem experiência desenvolvendo softwares para plataformas específicas ou em uma linguagem de programação em particular. Veja alguns salários médios de desenvolvedores com experiência especializada:Note que estes salários são uma média nacional, e que há grande variabilidade entre diferentes estados e regiões do país e dependendo do porte da empresa. Relacionado:As informações sobre médias salariais são extraídas da seção Salários do Indeed na data de redação deste artigo. Os valores ficam sujeitos a variações de acordo com as características de cada vaga de trabalho.

Dicas para se tornar desenvolvedor de software

Para trabalhar como desenvolvimento de software, é necessário muito estudo e conhecimento prático na área. Isso porque devs devem apresentar diversas habilidades profissionais técnicas relacionadas à programação e às ferramentas usadas durante o processo de desenvolvimento. Quatro dicas para começar a trabalhar como desenvolvedor de software são:

1. Fazer uma graduação na área de TI

Um dos caminhos mais seguros para quem quer se tornar profissional de desenvolvimento de software é a graduação em TI. Um diploma de curso superior em tecnologia mostra que você tem conhecimento sobre as linguagens de programação e software, aumentando as suas chances de conseguir um emprego como dev.Existem opções de graduação no formato de bacharelado, que geralmente duram entre quatro e cinco anos, e tecnólogo, que podem durar entre dois e três anos. Veja alguns exemplos interessantes de cursos superiores para quem busca trabalhar com desenvolvimento de software:
  • Análise e Desenvolvimento de Sistemas;
  • Ciência da Computação;
  • Engenharia da Computação;
  • Engenharia de Software;
  • Jogos Digitais;
  • Redes de Computadores;
  • Segurança da Informação;
  • Sistemas de Informação.
Relacionado: O que faz um desenvolvedor de sistemas (funções, requisitos e mercado de trabalho)

2. Concluir um curso com certificado

Não é apenas na graduação que você aprende sobre desenvolvimento de software e linguagens de programação. Inclusive, há empresas que contratam profissionais com ensino médio completo e cursos livres com certificado. Essas pessoas também podem atuar como prestadoras de serviço, freelancer ou autônomas. Se você prefere estudar em cursos livres, opte por aqueles que tenham esses temas na grade curricular:
  • linguagens de programação, como Java, C++, Python e Scala;
  • SQL;
  • ferramentas de auxílio ao desenvolvimento de software, como o git e Mercurial SCM;
  • ambientes de desenvolvimento integrados;
  • disciplinas com o foco em desenvolvimento de software.
Também é importante priorizar cursos que ofereçam certificado.Leia mais: Cursos online com certificado grátis

3. Buscar uma pós-graduação

Uma dica para aumentar as suas chances de conseguir um emprego como desenvolvedor é, buscar uma pós-graduação em alguma das frentes e especialidades do desenvolvimento de software após concluir uma graduação em uma área de TI. É possível buscar, por exemplo, uma pós-graduação em desenvolvimento full stack, front-end ou back-end.

4. Montar um portfólio robusto

Um requisito comum nas vagas de emprego para a função de desenvolvimento de software é a experiência prévia, seja atuando para outras empresas ou em projetos próprios. Em geral, profissionais de TI mostram a sua experiência com um portfólio no GitHub. O GitHub funciona como um repositório de códigos, onde você pode armazenar os seus projetos e enviá-los diretamente para a pessoa recrutadora.Uma dica é personalizar os projetos enviados conforme os requisitos da vaga. Por exemplo, se você tem experiência desenvolvendo software com C++, Java e Python, mas a vaga busca profissionais experientes em Python, selecione projetos desenvolvidos nessa linguagem.Relacionado:
Compartilhar:
  • Twitter
  • LinkedIn
  • Facebook
  • E-mail
Esse artigo é útil?

Artigos relacionados

Quanto ganha um engenheiro de software

Leia mais artigos