Encontrando um emprego

Saiba como se candidatar às vagas para jovem aprendiz

Ter uma experiência de trabalho na adolescência pode ser determinante para a vida profissional. Mais do que uma fonte de renda, ela também ajuda no desenvolvimento de habilidades importantes, como independência e responsabilidade. Pensando nisso, o governo federal criou no ano de 2000 o programa Jovem Aprendiz, uma importante ferramenta para a inserção de jovens no mercado de trabalho.

Neste artigo, explicaremos como ele funciona, quais são as suas vantagens e as vagas mais comuns disponíveis no mercado. Também daremos dicas para quem pensa em ter sua primeira experiência profissional como jovem aprendiz.

Como funciona o programa Jovem Aprendiz

Criado pela Lei 10.097/2000, o programa Jovem Aprendiz determina que toda empresa de médio ou grande porte deve ter menores aprendizes entre seus funcionários. A proporção de vagas abertas para jovens nessas empresas deve ficar entre 5% e 15% do quadro de funcionários. O contrato de trabalho tem duração pré-determinada de até dois anos em regime CLT especial, com carteira assinada, fundo de garantia, férias e 13º salário. O salário é calculado de acordo com a quantidade de horas trabalhadas.

Além da atividade laboral, o aprendiz recebe formação teórica. Essa formação deve incluir treinamento relacionado à área de atuação da empresa, mas também inclui o desenvolvimento de habilidades como organização, planejamento e comunicação pessoal. De forma geral, a formação teórica representa um complemento para o desenvolvimento profissional do jovem, reforçando o sentido de aprendizado do programa.

Após ser contratado, o aprendiz tem suas atividades práticas supervisionadas por um responsável dentro da empresa. A parte teórica fica sob responsabilidade de instituições sem fins lucrativos.

Candidate-se facilmente com um Currículo Indeed

Como se candidatar

O Jovem Aprendiz é voltado para jovens entre 14 e 24 anos incompletos. Para fazer a inscrição, eles precisam estar matriculados ou ter concluído o ensino médio em escola pública. Para visualizar as inscrições abertas, o acesso ao programa normalmente se dá pelo Centro de Integração Empresa-Escola (CIEE), uma das instituições mais reconhecidas nesse setor.

As empresas interessadas em contratar jovens aprendizes costumam cadastrar as vagas na instituição parceira, que ficará responsável por fazer a aproximação entre as empresas e os candidatos. Depois disso, ela também participará do processo de contratação e supervisionará o jovem aprendiz durante todo o período de contrato.

Tem interesse em ser jovem aprendiz? Você pode procurar o CIEE de sua região ou, se preferir, também pode cadastrar seu currículo na página oficial do programa.

Onde trabalhar

As vagas de emprego para jovens aprendizes estão disponíveis nos mais diversos setores, com destaque em algumas áreas. Entre as opções mais comuns para os jovens estão o comércio, a indústria e os serviços administrativos. Todas essas opções dão condições de crescimento profissional consideráveis para o jovem aprendiz, pois são setores grandes e de enorme importância econômica.

Para além da obrigatoriedade de contratação, muitas empresas desenvolvem planos de carreira inteiramente pensados para esse público. Nesses casos, quando os jovens aprendizes entram pelo programa, eles já possuem a possibilidade de efetivação ao final do período do contrato de estágio.

Ao pesquisar por uma empresa para trabalhar, procure aquela em que você vê maiores perspectivas de desenvolvimento pessoal. Além disso, dê preferência às funções que estejam mais de acordo com seus gostos pessoais. Mas não se esqueça, no entanto, que não há problema algum em experimentar e conhecer funções diferentes.

Como escrever seu currículo

Um dos maiores desafios para o candidato a jovem aprendiz está em fazer um currículo interessante, principalmente porque a maioria dos candidatos não possuem experiência anterior. Essa é uma preocupação desnecessária, afinal, mesmo sem nunca ter trabalhado, o jovem pode incluir em seu currículo outras experiências ou habilidades que sejam pertinentes à vaga.

Ao escrever um currículo para jovem aprendiz, alguns cuidados são fundamentais:

Mantenha seus dados atualizados

Há informações que não podem faltar em um bom currículo. Exemplos clássicos são as informações de contato e os dados escolares. As informações de contato incluem números de telefone e endereços de e-mail, por exemplo. Já os dados escolares podem ser o nome da instituição de ensino e do curso que o candidato faz, o ano ou semestre que está cursando e uma estimativa de conclusão, caso ainda esteja matriculado. Não se esqueça de atualizar seu currículo sempre que passar de ano ou mudar de escola.

Tome cuidado com o uso adequado da língua portuguesa

Em currículos curtos, como são tipicamente os de candidatos a jovem aprendiz, todo elemento importa. Por isso, tenha cuidado especial com o uso correto da língua portuguesa. Espera-se que um jovem estudante (ou que tenha se formado há pouco tempo) tenha uma escrita adequada à sua formação.

Desvios graves de ortografia, falhas na concordância, problemas com pontuação e frases confusas ou mal elaboradas podem deixar uma má impressão para o recrutador. Se bater alguma dúvida, procure pesquisar a forma correta e peça ajuda a amigos, familiares e professores. E sempre revise seu currículo.

Mencione os cursos que você já fez

Ao selecionar um menor aprendiz, o empregador está ciente de que os candidatos não têm experiência profissional anterior. Logo, você não precisa se preocupar com isso. Aproveite para valorizar cursos que já fez, preferencialmente aqueles relacionados ao setor em que você pretende trabalhar. A maior parte das instituições parceiras, por exemplo, oferecem cursos destinados à formação de jovens que desejam entrar no mercado de trabalho. Você também pode incluir a participação em treinamentos e outras atividades extracurriculares, tais como trabalho voluntário, empresas júnior e projetos de pesquisa.

Destaque suas habilidades e conhecimentos específicos

O conhecimento de ferramentas e habilidades específicas pode ser uma vantagem relevante para sua candidatura. Ao escrever o currículo, destaque os conhecimentos aprendidos na escola e que você considera apropriados para a vaga, como saber escrever bem ou ter facilidade em cálculo. Inclua também habilidades que você desenvolveu por conta própria, como o uso do Microsoft Office ou de outros programas para computador, e até mesmo um segundo idioma.

Como ser um bom jovem aprendiz

O programa Jovem Aprendiz traz diversos benefícios aos seus participantes, mas também exige deles muita dedicação. Conseguiu a tão desejada vaga e está prestes a começar em uma empresa? Lembre-se de aproveitar o que essa oportunidade pode oferecer de melhor. O período como jovem aprendiz pode ser determinante para o início de uma carreira de sucesso. A seguir, damos algumas dicas para você aproveitar ao máximo essa experiência.

Não tire sua atenção dos estudos

Deixar os estudos em segundo plano devido ao trabalho é um erro que o aprendiz não pode cometer de forma alguma. O trabalho deve ser pensado como um complemento à educação formal, e não como rival em questão de tempo e dedicação. Por isso, é importante saber gerenciar seu tempo.

O programa Jovem Aprendiz tem diversos dispositivos voltados a preservar sua característica formadora. Um deles é a exigência de que o aprendiz tenha um dia livre na semana para se dedicar aos estudos. Outro exemplo importante é a supervisão que a instituição parceira mantém sobre aprendiz e empresa durante o tempo de contrato.

Tenha comprometimento com a empresa

Mesmo as tarefas que parecem mais simples exigem seriedade e comprometimento durante sua execução. Portanto, mantenha sempre a concentração, evitando fazer as coisas no modo automático. Assim, você vai evitar erros ou mal-entendidos. Seja pontual e respeite as regras e os códigos de conduta da empresa onde trabalha ou está prestes a trabalhar. Dessa forma, você mostrará que possui maturidade para assumir mais responsabilidades no futuro.

Faça perguntas e peça feedbacks

Perguntar não ofende. Se tiver dúvidas no trabalho, não deixe que elas fiquem sem resposta e não tenha medo de questionar seus supervisores e colegas de trabalho. Esse tipo de atitude mostra que você tem vontade de aprender e que está disposto a refletir sobre os processos da empresa.

Além disso, se essa prática já não for comum na empresa, peça feedbacks para seu supervisor de tempos em tempos. Receber um feedback proporciona oportunidades valiosas para o compartilhamento de impressões com seu chefe e permite que você demonstre interesse pelas atividades que ocorrem na empresa.

Tenha uma postura proativa

Evite ter uma postura muito passiva no trabalho. Se a empresa for boa, ela lhe oferecerá treinamento e orientação constantes, mas, mesmo assim, dificilmente você poderá contar com esse suporte a todo instante. Demonstre iniciativa para resolver problemas pontuais ou para realizar parte das tarefas sem que alguém tenha de pedir antes. Além de estimular um aprendizado mais rápido, aplicado a desafios reais, essa postura deixará uma boa impressão sua para seus superiores.

Socialize com respeito

O ambiente de trabalho é um local propício ao cultivo das relações humanas. Aproveite para conhecer novas pessoas, estabelecer laços de amizade e cultivar uma rede de contatos, que é muito importante para seu desenvolvimento profissional. Adote uma postura profissional, solícita, e sempre procure tratar seus colegas de forma respeitosa. Aproveite para aprender com os seus colegas mais experientes como se portar no dia a dia da empresa e saiba como amadurecer no ambiente de trabalho.

Participar do programa Jovem Aprendiz é uma grande chance para você desenvolver novas habilidades, incrementar seu currículo com uma experiência incrível e interagir com profissionais experientes. Não desperdice. Aproveite essa oportunidade.