Testes de raciocinio lógico para entrevista de emprego

Por Equipe editorial do Indeed

Atualizado em: 3 de novembro de 2022 | Publicado em: 30 de novembro de 2021

Atualizado em: 3 de novembro de 2022

Publicado em: 30 de novembro de 2021

A Equipe Editorial do Indeed é formada por um grupo diverso e talentoso de escritores, pesquisadores e especialistas que usam os dados e as informações do Indeed para oferecer dicas úteis que ajudam a guiar sua carreira.

Muitas empresas, sobretudo as de grande porte, usam o teste de raciocínio lógico para entrevista de emprego. Quando existe um número elevado de pessoas disputando poucas vagas, essa é uma estratégia eficaz para filtrar talentos. Entender como essas avaliações funcionam pode ajudar você a se preparar melhor para futuras oportunidades.

Neste artigo, abordamos o que é e como funciona um teste de raciocínio lógico e listamos alguns exemplos com suas respectivas respostas.

Relacionado: Técnicas de pensamento lógico: o raciocínio indutivo

Como é um teste de raciocínio lógico para entrevista de emprego

Ao contrário do que muitas pessoas imaginam, os testes de raciocínio lógico não envolvem apenas cálculos matemáticos. Eles são elaborados para medir a capacidade analítica das pessoas, ou seja, a habilidade de resolver problemas e encontrar as respostas corretas em um determinado período. Esses tipos de avaliações são muito comuns em concursos públicos e têm sido adotadas com frequência por organizações que precisam de pessoas capazes de propor soluções criativas e ágeis para os desafios cotidianos. Um teste de raciocínio lógico pode envolver proposições, equivalências, sequências numéricas e probabilidades.

Relacionado: Tipos de entrevista mais usadas

Exemplos de questões de raciocínio lógico

Listamos a seguir uma série de exemplos de questões envolvendo o raciocínio lógico, suas devidas respostas e comentários que vão ajudar você a compreender melhor como essas avaliações funcionam:

Lógica proposicional

Proposição é uma sentença declarativa, onde existe a presença de um sujeito e um predicado determinados e à qual se pode atribuir um valor: verdadeiro ou falso.

Exemplo: Qual das sentenças abaixo é declarativa?

A - Florianópolis é a capital de Santa Catarina
B - Pegue a caneta no escritório
C - Que dia da semana é hoje?
D - Boa tarde!

Resposta: apenas a sentença A é declarativa. A sentença B é imperativa, a sentença C é interrogativa e a sentença D é exclamativa.

Condicional

A condicional envolve duas proposições que têm relação de causa e efeito entre si. Tomando como exemplo a frase "se corro, então canso", podemos dizer que correr é a causa para cansar. Todavia, não é possível afirmar que "se canso, é porque corro", pois o efeito não tem a causa como resultado. Tenha em mente:

  • a causa é condição suficiente para o efeito

  • o efeito é condição necessária para a causa

Dessa maneira, "corro" é condição suficiente para "canso", e "canso" é condição necessária para "corro".

Exemplo: Assinale a alternativa correta para as seguintes proposições: "se você se esforçar, então irá vencer".

A - seu esforço é condição suficiente para vencer
B - seu esforço é condição necessária para vencer
C - se você não se esforçar, então não irá vencer
D - você só vencerá se se esforçar

Resposta: alternativa é correta A, pois o esforço é a causa, enquanto a vitória é o efeito.

Relacionado: Cinco exemplos de como lidar com perguntas de pegadinha na entrevista

Argumentação lógica

Argumentação lógica é o estabelecimento de uma relação e uma conclusão entre proposições. As sentenças podem conter os quantificadores "todo", "algum" ou "nenhum".

"Todo" e "todo":
Se todo A é B e todo B é C, logo todo A é C.
No caso de proposições com "todo" e "todo", a conclusão também deverá conter o quantificador "todo".

"Todo" e "algum":
Se todo A é B e algum B é C, algum A é C.
No caso de proposições com "todo" e "algum", a conclusão também deverá conter o quantificador "algum".

"Todo" e "nenhum":
Se todo A é B e nenhum B é C, nenhum A é C.
No caso de proposições com "todo" e "nenhum", a conclusão também deverá conter o quantificador "nenhum".

Exemplo: Toda enfermeira é inteligente. Alguma enfermeira é vaidosa. Qual a afirmativa correta?

A - Alguma enfermeira vaidosa não é inteligente
B - Alguma enfermeira inteligente é vaidosa
C - Toda enfermeira inteligente é vaidosa
D - Toda enfermeira vaidosa não é inteligente

Resposta: Como dito, para proposições que apresentem os quantificadores "todo" e "algum", a conclusão deve conter "algum". Dessa maneira, podemos eliminar as alternativas C e D. Se afirmamos que toda enfermeira é inteligente, sendo ela vaidosa ou não, a alternativa A também é incorreta. Assim, a resposta certa é B.

Relacionado: Como descrever pontos fortes e pontos fracos numa entrevista de emprego

Análise combinatória

A análise combinatória acontece quando existe uma sucessão de escolhas a serem feitas, e você deve calcular o total de possibilidades que podem ocorrer, pelos princípios multiplicativo (uso do conectivo "e") ou aditivo (uso do conectivo "ou").

Exemplo: uma indústria produz três modelos de carros. Para cada modelo, você deve escolher entre sete cores diferentes, cinco tipos de estofamento e vidros verdes ou transparentes. Opcionalmente, você também pode adquirir o limpador de vidro traseiro. A quantidade de maneiras distintas que essa indústria pode montar carros para atender a todas as possíveis escolhas de clientes é:

A - 60
B - 70
C - 140
D - 210
E - 420

Resposta: O primeiro ponto é verificar que todas as possibilidades estão ligadas pelo conectivo "e". Portanto, trata-se do princípio multiplicativo. Em seguida, basta elencar as possibilidades e multiplicar os valores:

Modelos = 3
Cores = 7
Estofamento = 5
Vidros = 2
Limpador (com ou sem) = 2
Total = 3 x 7 x 5 x 2 x 2 = 420. Letra E.

Relacionado: Сomo responder à pergunta “Por que devemos te contratar?”

Probabilidade

A probabilidade é o estudo das chances de determinado evento acontecer.

Exemplo: Uma urna contém 50 bolinhas, numeradas de 1 a 50. Uma bolinha é retirada aleatoriamente. Qual é a probabilidade de ser retirada uma bolinha contendo um número múltiplo de 15?

Resposta: O primeiro passo é definir o espaço amostral e o evento, ou seja, o resultado que você quer encontrar:
Espaço amostral = 50
Evento = 3 (os múltiplos de 15 são 15, 30 e 45)
Depois, basta dividir o evento pelo espaço amostral: a probabilidade é de 3/50.

Relacionado: "Quais suas expectativas em relação à vaga pretendida?" - Como responder

Raciocínio sequencial

O raciocínio sequencial é uma sequência lógica de figuras, números, letras ou palavras, composta de, pelo menos, três elementos, em que existe um padrão.

Exemplo: A sequência (0, 1, 3, 4, 12, 13...) obedece a uma lei de formação. Somando o oitavo e o décimo termos dessa sucessão, temos um número compreendido entre:

A - 150 e 170
B - 130 e 150
C - 110 e 130
D - 90 e 110

Resposta:
Termo 1: 0
Termo 2: 0 + 1 = 1
Termo 3: 1 x 3 = 3
Termo 4: 3 + 1 = 4
Termo 5: 4 x 3 = 12
Termo 6: 12 + 1 = 13
Termo 7: 13 x 3 = 39
Termo 8: 39 + 1 = 40
Termo 9: 40 x 3 = 120
Termo 10: 120 + 1 = 121
Somando o oitavo e o décimo termos, temos: 40 + 121 = 161. Letra A.

Raciocínio analítico

O raciocínio analítico pressupõe que você analise as premissas dadas para chegar a uma conclusão.

Exemplo: três amigas (Ana, Bruna e Clara) saíram do trabalho e cada uma foi a um local antes de voltar para casa. Somente mais tarde, cada uma percebeu que havia esquecido um objeto no local onde esteve anteriormente. Sabe-se que:

  • uma delas esqueceu o guarda-chuva no bar e, a outra, a agenda na pizzaria

  • Ana esqueceu um objeto na casa de sua mãe

  • Bruna não esqueceu a agenda nem a chave de casa

É verdade que:
A - Clara foi a um bar
B - Bruna foi a uma pizzaria
C - Clara esqueceu a chave de casa
D - Bruna esqueceu o guarda-chuva
E - Ana esqueceu a agenda

Resposta: vamos utilizar associações e exclusões para esclarecer a questão:

  • Conclusão 1: o guarda-chuva foi esquecido no bar. A agenda foi esquecida na pizzaria. Como Ana esteve na casa da mãe, esse objeto é a chave de casa.

  • Conclusão 2: como Bruna não esqueceu a agenda, nem a chave de casa, o objeto perdido é o guarda-chuva. Consequentemente, Bruna esteve no bar antes de ir para casa.

  • Conclusão 3: Definidos os locais e objetos de Ana e Bruna, podemos afirmar que Clara esqueceu a agenda na pizzaria.

Dessa maneira, a alternativa correta é a letra D.

Relacionado: Perguntas para recrutamento interno: 12 perguntas para entrevista de seleção interna

Como se preparar para um teste de raciocínio lógico

As questões de um teste de raciocínio lógico podem variar de empresa para empresa, e apresentar maior ou menor grau de dificuldade, a depender das características da vaga. O importante é manter a calma e analisar cada pergunta com cuidado, pois, muitas vezes, as pessoas se perdem apenas por falta de atenção ao enunciado. Praticar também é essencial, e existe uma vasta literatura sobre o tema, além de sites especializados na internet. Uma dica é pesquisar por provas resolvidas de concursos públicos em que a disciplina é cobrada.

Relacionado: Como funciona um concurso público

Leia mais artigos