Ir para o conteúdo principal
Crie seu currículo - Seja encontrado pelas empresas!

Vagas: auxiliar de sinistro - Nova Iguaçu, RJ

Ordenar por: -
2 vagas

Job Post Details

MCB COMANDANTE - job post

LOCAR UTIL - LOCAÇÕES E SERVIÇOS
Rio de Janeiro, RJ
R$ 7.000 - R$ 10.000 por mês

Dados da vaga

Veja como as informações da vaga se alinham com seu perfil.

Salário

  • R$ 7.000 - R$ 10.000 por mês

Tipo de vaga

  • Efetivo CLT

Localização

Rio de Janeiro, RJ

Benefícios
Retirados da descrição completa da vaga

  • Assistência médica
  • Assistência odontológica
  • Seguro de vida
  • Vale-alimentação
  • Vale-transporte

Descrição completa da vaga

Cumprir e fazer cumprir, por todos os subordinados, as leis e regulamentos em vigor, mantendo a disciplina na sua embarcação, zelando pela execução dos deveres dos tripulantes, de todas as categorias e funções, sob as suas ordens; inspecionar ou fazer inspecionar a embarcação, diariamente, para verificar as condições de asseio, higiene e segurança; cumprir as disposições previstas nas instruções sobre os meios de salvamento a bordo; assegurar a ordem e serventia das embarcações auxiliares de salvamento; tomar todas as precauções para completa segurança da embarcação, quer em viagem, quer no porto; implantar e manter um programa continuado e periódico de treinamento para familiarização de novos tripulantes e para manutenção do nível operacional da tripulação; fazer com que todos conheçam seu lugar e deveres em caso de incêndio, de abalroamento ou de abandono, executando, pelo menos, quinzenalmente, os exercícios para uso necessários, sempre que 1/3 da tripulação tiver sido substituída; assumir pessoalmente a direção da embarcação sempre que necessário como: por ocasião de travessias perigosas, entrada e saída de portos, atracação e desatracação, fundear ou suspender, entrada e saída de diques, em temporais, cerração ou outra qualquer manobra da embarcação em casos de emergência; supervisionar o carregamento, a descarga, o lastro e deslastro da embarcação, de forma eficiente, de acordo com as normas de segurança; dar ciência às autoridades competentes, inclusive ao Armador, sempre que, justificadamente, tiver que alterar os portos de escala da embarcação; convocar, quando necessário, os oficiais da tripulação para, em Conselho decidir quanto as situações de extrema gravidade para a embarcação e para a carga; ter voto de qualidade em tudo quanto interessar a embarcação e à carga, e mesmo proceder, sob sua responsabilidade, contrariamente ao que for deliberado; exercer fiscalização e repressão ao contrabando, transporte de armas, munições e cargas não manifestadas; responder por quaisquer penalidades impostas à embarcação, por infração da Legislação em vigor, resultantes de sua imperícia, omissão ou culpa, ou de pessoas que lhe sejam subordinadas apontando, neste caso, o responsável; superintender nas embarcações, cujo único oficial de navegação seja o Comandante, os serviços que lhe estão afetos, acrescidos das incumbências inerentes aos demais oficiais podendo, entretanto, designar outros membros da tripulação para sua execução, exceto em relação àqueles serviços que, pela sua natureza, lhe caiba executar pessoalmente; cumprir e fazer cumprir o regulamento para evitar abalroamento no mar; socorrer outra embarcação, em todos os casos de sinistro, prestando o máximo auxílio, sem risco sério para sua embarcação, equipagem e passageiros; em caso de violência intentada contra a embarcação, seus pertences e carga, se for obrigado a fazer entrega de tudo ou de parte, munir-se com os competentes protestos no porto onde ocorrer o fato, ou no primeiro onde chegar; empregar a maior diligência para salvar os passageiros e tripulantes, os efeitos da embarcação e carga, papéis e livros de bordo, dinheiro etc., devendo ser o último a deixá-lo, quando julgar indispensável o seu abandono em virtude de naufrágio; lavrar, quando em viagem, termos de nascimento e de óbito ocorridos: arrecadar e inventariar os bens de pessoa que falecer, fazendo entrega de tudo à autoridade competente; efetuar casamentos, escrever e aprovar testamentos "in extremis", reconhecer firmas em documentos, nos casos de força maior; ratificar, dentro de 24 horas úteis, depois da entrada da embarcação no porto, perante as autoridades competentes, e tendo presente o "Diário de Navegação", todos os processos testemunháveis e protestos formados a bordo, tendentes a provar sinistros, avarias, perdas ou arribadas; dar conhecimento à Capitania do primeiro porto que demande e a outras embarcações, pelo rádio, ou qualquer outro meio, de todas as ocorrências concernentes à navegação, como sejam: cascos soçobrados ou em abandono, baixios, recifes, funcionamento dos faróis e bóias, balizas, derrelitos etc.; impor penas disciplinares aos que perturbarem a ordem da embarcação, cometerem faltas disciplinares ou deixarem de fazer o serviço que lhes compete, comunicando às autoridades competentes, na forma da legislação em vigor; fazer alijar carga por motivo de força maior, e no interesse geral, ou quando se tratar de volume contendo materiais explosivos e perigosos, embarcados em contravenção à lei e que esteja pondo em risco a embarcação, tripulantes, etc; determinar o uniforme do dia, cumprindo e fazendo cumprir o que determina o Regulamento para uso de uniformes a bordo de embarcações nacionais quando houver; autorizar serviços extraordinários que se fizerem necessários a bordo, de acordo com as leis que regem a matéria; ter sempre prontos os documentos para despacho da embarcação nas repartições competentes; ter sob sua guarda valores de passageiros, dos tripulantes ou da embarcação, como medicamentos entorpecentes para uso em casos de emergências, assinando e exigindo os competentes recibos; instaurar inquérito e demais atos de direito, para o que ocorrer a bordo; superintender os serviços de abastecimento e reparos, manutenção, docagem e reclassificação da embarcação. Visar as respectivas faturas, relatórios de serviço e pedidos, assim como todos e quaisquer outros documentos; certificar- se se estão a bordo todos os tripulantes, prontos a seguir viagem, na hora marcada para a saída da embarcação; delegar poderes aos Subordinados para distribuição de serviços, visando ao bom andamento dos trabalhos de bordo; fazer-se acompanhar dos oficiais da embarcação, todas as vezes que inspetores, peritos e vistoriadores comparecerem a bordo, prestando todas as informações que forem solicitadas; proceder inspeção geral da embarcação exigir dos tripulantes, por ocasião de seu embarque, toda a documentação necessária, bem como a apresentação de sua andaina de uniformes; responder pelo fiel cumprimento das leis, convenções, acordos nacionais e internacionais, e de todas as demais normas que regem o Transporte Marítimo, devendo zelar pelo bom nome da Empresa, resguardando os interesses da mesma e a boa apresentação da Marinha Mercante do Brasil, nos portos nacionais e estrangeiros; determinar, sempre que necessário, o trabalho conjunto dos tripulantes da embarcação, de modo a agilizar a superação de um problema técnico, ou a prontificação de uma faina marinheira; organizar os serviços de quarto, de forma a manter o serviço de vigilância e segurança da navegação adequadamente, considerando, inclusive, a necessidade dos oficiais encarregados dos serviços de quarto de navegação estarem o tempo todo fisicamente presentes no passadiço ou locais diretamente ligados ao passadiço; designar, entre os Tripulantes, o Gestor; implantar e fazer cumprir a bordo um plano de prevenção e combate a poluição; implantar e fazer cumprir uma política contra o uso de álcool e drogas a bordo. Devendo normatizar os procedimentos a serem adotados e divulgá-los a todos os tripulantes.

AUTORIDADE E PROCURAÇÃO - O Comandante está no comando da embarcação e possui autoridade para operar e administrar a embarcação conforme as regras e regulamentos existentes, de acordo com as diretrizes da Empresa. Ele também possui autoridade para delegar tarefas conforme as normas existentes e diretrizes da Empresa.

Nada nestas instruções deverá impedir ou minimizar a responsabilidade do Comandante, conforme as regras e regulamentos existentes, de acordo com a marinharia de primeira classe.

  • Checar se os certificados e documentos oficiais da embarcação estão válidos e satisfazendo as exigências das autoridades, dos afretadores e da Empresa.
  • Implementar e manter o sistema de SGI da Empresa a bordo.
  • Conhecer a planilha com os Levantamentos de Aspectos Impactos, Perigos e Riscos tomando as ações necessárias para garantir a segurança durante as atividades.
  • Monitorar e supervisionar as reuniões de segurança a bordo.
  • Checar se os certificados, diplomas de cursos de segurança, atestados de saúde e passaportes dos tripulantes estão válidos quando necessários.
  • Checar se seu "Certificado de Saúde de Marítimo (NIS)", ASO e Caderneta de Inscrição e Registro (CIR) estão válidos. Certificar-se de que sua renovação seja feita antes de seu vencimento.

Antes de embarcar, o contato da Empresa deverá receber informações e se atualizar quanto à operação da embarcação e outras informações relevantes.

A cada troca de turma, checar se o Comandante que está embarcando recebeu todas informações importantes e relevantes à operação e gerenciamento da embarcação. Esta informação deverá ser passada por escrito.

A cada troca de turma, checar se a tripulação está adequada.

Fazer a revisão anual do Comandante para atender as exigências da Empresa.

Cumprir e fazer com que todos os tripulantes e passageiros cumpram as leis, regulamentos e ordens em vigor, mantendo na embarcação sob seu comando a disciplina e os princípios de autoridade e hierarquia.;

Assumir pessoalmente a direção da embarcação na manobras de suspender ou fundear, de entrada e saída dos portos, por ocasião de travessias perigosas, atracação e desatracação e em certas ocasiões especiais; poderá entregar, conservando sua responsabilidade, a direção dessas manobras ao Imediato, ao Prático ou a outros Oficiais, como treinamento, a seu critério, excetuadas as de emergência quando houver riscos para a embarcação, tripulantes e carga;

Zelar pela conservação, manutenção, prontificação e utilização da embarcação, seus serviços e equipamentos dentro da máxima eficiência e segurança;

Determinar uma inspeção na embarcação, recebendo o pronto dos Chefes de Seções antes de iniciar uma viagem a fim de verificar se está pronta para se fazer ao mar com segurança e se todos os demais preparativos estão na devida ordem;

Iniciar a viagem, tão logo os preparativos tenham sido completados, para o porto de destino sem se desviar da rota preestabelecida, salvo em caso de força maior;

Realizar, sempre que possível, e pelo menos uma vez por mês, exercícios de postos de abandono, de incêndio e outras fainas de emergência, a fim de familiarizar a tripulação com os procedimentos das fainas e os lugares que deverão ocupar numas dessas emergências; tais exercícios deverão ser repetidos periodicamente, e de acordo com a Convenção Internacional para Salvaguarda da Vida Humana no Mar ou outros regulamentos;

Zelar pelo perfeito recebimento, manuseio, acondicionamento e estivagem da carga a bordo, seu transporte e entrega da mesma ao destinatário, munindo-se do competente protesto e justificativa sempre que ocorrer qualquer alteração com a mesma; providenciar sua ratificação na chegada ao primeiro porto de escala, de acordo com o GERENTE DE BASE e o Armador;

Exercer a necessária fiscalização para impedir infração a dispositivos alfandegários (contrabando, transporte de armas e munições, drogas,etc.);

Tomar prático sempre que a praticagem for obrigatória ou quando julgar necessário à segurança da navegação, não se utilizando, porém, de seus serviços, além do tempo indispensável. O COMANDANTE deverá fazer a navegação indicada pelo prático, mas deixará de seguir estas indicações se presumir, com fundamento razoável, que o prático não tem os conhecimentos suficientes para bem dirigir a embarcação ou que não procede com a devida competência e lealdade. O COMANDANTE deverá ter o maior cuidado na manobra e navegação, ordenando que se façam marcações de terra e sondagens e se tomem quaisquer outras cautelas para se assegurar de que a embarcação não correrá risco seguindo as indicações do prático;

Cumprir e fazer cumprir os ordens e dispositivos concernentes e a escrituração dos diários, embarques, despachos e regras de entrada e saída dos portos; bem como quaisquer outros livros oficiais;

Impor penas disciplinares aos que perturbarem a ordem da embarcação, cometerem faltas disciplinares ou deixarem de fazer o serviço que lhes compete, comunicando-as às autoridades competentes na forma da legislação em vigor;

Somente em situações plenamente justificadas, alterar a rota determinada e muito menos os portos de escala da embarcação, consultando previamente ou, na impossibilidade de fazê-lo, cientificando imediatamente ao GERENTE DE BASE e o Armador;

Convocar, se assim o desejar e somente no caso da embarcação se encontrar em situação difícil, os Chefes Seção e demais Oficiais para reunir em Conselho a fim de ouvir suas opiniões acerca do que convenha fazer. Esse Conselho é puramente consultivo e o COMANDANTE resolverá como julgar mais conveniente aos interesses do serviço e a segurança da embarcação. Do que ocorrer no Conselho se lavrará ata;

Empregar a maior diligência para salvar tripulantes, e seus pertences, carga e bagagem, papéis e livros de bordo, dinheiro, etc., devendo ser o último a abandonar a embarcação, quando julgar indispensável tal providência em virtude de naufrágio;

Autorizar serviços extraordinários que se fizerem necessários a bordo, de acordo com as leis e ordens que regem a matéria;

Instaurar inquéritos e demais atos de direito para apurar irregularidades ocorridas a bordo;

Gerenciar através dos Chefes de Seção os serviços de abastecimento, manutenção e reparos da embarcação, visando as respectivas faturas, assim como os demais documentos que dependam da sua assinatura;

Dar conhecimento às autoridades portuárias do primeiro porto, que demande, e a outras embarcações pelo rádio, de todas as ocorrências concernentes aos estorvos que encontrar, tais como, cascos soçobrados ou em abandono, baixios, recifes, etc., e, também, de irregularidades no funcionamento de faróis, bóias, etc. A comunicação deverá ser acompanhada de todos os esclarecimentos para a localização e perfeita caracterização do estorvo ou irregularidades verificadas;

Inspecionar e fazer inspecionar a embarcação frequentemente para verificar o cumprimento da ordem, asseio, higiene, eficiência e segurança;

Dar suas ordens verbais por intermédio do Chefe de Seção ou diretamente aos oficiais que as devam executar, cabendo a estes, logo que possível, dar conhecimento ao Chefe da Seção das ordens recebidas; quando lhe parecer necessário, pela importância da ordem ou para sua melhor compreensão, deverá dá-la por escrito, exigindo que os interessados nela aponham o ciente;

Determinar ao Encarregado de Navegação, como responsável que é pela navegação, a derrota a seguir e zelar pela sua correta execução;

Conservar sua embarcação incomunicável com a terra e outras embarcações se verificado casos de doenças infecto-contagiosas durante a viagem, até que seja desembaraçado pela Saúde do Porto; para isso deverá fundear no fundeadouro de visita e, não havendo esse ancoradouro, fundeará em posição distante de terra e dos demais embarcações;

Responder por quaisquer multas impostas aa embarcação, por infração dos regulamentos fiscais e sanitários, resultantes, se for o caso, de sua negligência, imperícia, omissão ou culpa, ou de pessoal que lhe seja subordinado, apontando, neste caso, o responsável;

Lavrar termos sempre que ocorrerem anormalidades a bordo, tais como, reboque, suposição de avaria de carga e etc;

Programar e fiscalizar a execução das atividades de manutenção preventiva, reparos e outras fainas gerais.

Atender aos Programas QSMS, Auditoria Comportamental, Gestão de Mudanças e Verificação de Conformidade de Procedimento;

Promover as campanhas de Meio Ambiente, Segurança e Saúde a bordo;

Atender ao Sistema de Gestão Integrado da empresa preenchendo todos os registros.

- Participar das Auditorias Comportamentais e decisões, provenientes da Análise Crítica e Gestão de Mudanças.

* Entender a política de SGI e seus objetivos, bem como os aspectos ambientais e os perigos ocupacionais e contribuir para seus controles;

Participar ativamente dos DDS´s, treinamentos, campanhas e simulados, com foco na prevenção de acidentes do trabalho e preservação da integridade física e garantia da saúde, preservação do Meio ambiente; Cumprir e fazer cumprir as normas e padrões de QSMS estabelecidos pela Locar, na matriz, filiais e clientes, bem como nas legislações municipais, estaduais e federais;

Tipo de vaga: Efetivo CLT

Pagamento: R$7.000,00 - R$10.000,00 por mês

Benefícios:

  • Assistência médica
  • Assistência odontológica
  • Seguro de vida
  • Vale-alimentação
  • Vale-transporte
Seja encontrado pelas empresasCadastre seu currículo, é grátis!